SERVIÇO PÚBLICO

Servidores do Ibama e ICMBio denunciam tentativa de incêndio à sede e ataques em áreas conflagradas

Denúncia foi feita pela Associação Nacional dos Servidores de Carreira de Especialista em Meio Ambiente (Ascema), que pede providências às autoridades por meio de nota

Servidores do ICMBio e do Ibama - Imagem ilustrativa.Créditos: Reprodução
Escrito en MEIO AMBIENTE el

Servidores do Ibama e do ICMBio denunciaram nesta sexta-feira (9), por meio de nota da Associação Nacional dos Servidores de Carreira de Especialista em Meio Ambiente (Ascema), uma série de ataques que vêm sofrendo em regiões conflagradas, ou seja, onde há forte tensão decorrente de disputas por terras.

Entre os ataques relatados estão uma tentativa de incêndio contra sede do ICMBio, a incineração de viaturas do órgão e ataques a servidores do Ibama que estão nos territórios conflagrados, entre eles a Terra Indígena Yanomami, em Roraima, onde ocorre um verdadeiro conflito florestal com as sucessivas tentativas de retirar garimpeiros que invadiram a área e causaram uma matança de indígenas por fome e violência.

“Servidores do IBAMA também estão sendo constantemente atacados. Somam-se a estes episódios diversos ataques a equipes na Terra Indígena Yanomami e em várias regiões conflagradas, onde os servidores enfrentam cotidianamente infratores ambientais, criminosos e facções criminosas”, diz a nota.

Já a sede do ICMBio onde houve a tentativa incendiária fica no vilarejo do Porto Moutinho, às margens do Rio São Miguel, que cruza o município de São Francisco Guaporé, em Rondônia. O episódio ocorreu na madrugada do último dia 22 de janeiro, uma segunda-feira.

De acordo com apuração do Correio do Vale, um meio de comunicação local, três homens encapuzados usaram fuzis para render os dois servidores que estavam ali e, com galões de diesel, tentaram colocar a instalação abaixo. Após atear o fogo, fugiram numa embarcação a remo rio abaixo. A Polícia Civil local investiga o caso. Até o momento nenhum suspeito foi identificado.

Outro crime incendiário ocorreu em setembro do ano passado, quando duas viaturas foram queimadas durante fiscalização contra o desmatamento da Floresta Nacional de Aripuanã, próxima a Santo Antônio do Matupi no sul do Amazonas.

“Esses atos colocam em risco a integridade física dos servidores, mas também representam uma afronta ao trabalho árduo e dedicado realizado pelas instituições na defesa do patrimônio ambiental do Brasil. É fundamental que medidas eficazes sejam tomadas para proteger não apenas o patrimônio dos órgãos como ICMBio e Ibama, mas também de todos os servidores e servidoras, profissionais que trabalham incansavelmente para preservar a riqueza natural do nosso país”, diz a nota da Ascema.

A Ascema é a principal organização dos servidores especialistas em Meio Ambiente que se mobilizam desde janeiro em prol da valorização das suas carreiras. Clique aqui e entenda o movimento.

“Consideramos que o ataque sistemático às instituições é fruto do enfraquecimento de toda a estrutura da gestão ambiental pública no Brasil, que sofre com falta de recursos, de pessoal, de apoio e com condições extremamente defasadas, como cobramos em nossas mobilizações”, finalizou a organização.