AMAZONAS

Ação da PF e da Funai contra garimpo mira empresa contratada por prefeitura local

Diligências foram cumpridas no interior da Terra Indígena Boca do Acre com o objetivo de combater extração ilegal de minérios e outros crimes ambientais

Agentes da PF e da Funai.Créditos: Divulgação/PF
Escrito en MEIO AMBIENTE el

A Polícia Federal e a Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas) fizeram uma ação contra o garimpo na última quarta-feira (15) no interior da Terra Indígena Boca do Acre, localizada em município de mesmo nome no Amazonas. Além dos grupos de delinquentes ambientais localizados dentro do território, a ação também mirou uma empresa que tem contratos com a prefeitura local e é acusada de envolvimento com a extração ilegal dos minérios.

Durante a ação uma série de perícias foram realizadas no território com o uso de drones e materiais de extração do solo. O objetivo é qualificar e quantificar o dano causado pelas ações irregulares.

A operação teve como objetivo reprimir os crimes ambientais que ocorrem no território. Como as investigações ainda estão em andamento a PF não divulgou o nome da empresa em questão ou de possíveis pessoas e organizações investigadas.

“As investigações seguem em andamento e os responsáveis, se confirmadas as hipóteses criminais, poderão ser indiciados e responder pelos crimes de usurpação de bem da União e de lavra irregular de minério”, diz nota da PF

A Terra Indígena Boca do Acre

O município de Boca do Acre, como o nome sugere, está próximo à divisa do Amazonas com o Acre, na beira da BR-317. A Terra Indígena fica ao sul do centro do município. Com cerca de 23 mil hectares, 301 indígenas do povo Apurinã vivem no território, que é banhado pelo Rio do Acre a oeste.