Carrefour é multado em 12 milhões por vazamento de óleo em Santos

O hipermercado provocou vazamento de diesel ocasionado por um gerador com defeito; o combustível invadiu o Canal 6 e atingiu o mar

O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) multou, nesta segunda-feira (10), em R$ 12.555 milhões o hipermercado Carrefour, em Santos, no litoral paulista.

O estabelecimento, que funciona em um shopping center da cidade, o Praiamar, provocou vazamento de óleo diesel ocasionado por um gerador com defeito. O combustível invadiu o Canal 6 e atingiu o mar, mobilizando as autoridades ambientais.

O problema ocorreu no dia 4 de maio. Moradores que passaram pelo local sentiram um forte odor e observaram que a água no canal estava rosada.

As pessoas que detectaram o que estava ocorrendo acionaram logo a Secretaria de Meio Ambiente, Defesa Civil de Santos, Cetesb e Ibama. Os órgãos analisaram a partir canal e foram, bueiro por bueiro, seguindo o rastro do óleo. Com isso, conseguiram identificar que a origem estava no hipermercado Carrefour.

O vazamento de cerca de 2 mil litros do combustível ocorreu em uma das mangueiras de um gerador, desgastada por falta de manutenção. A limpeza do canal durou dois dias e ficou sob responsabilidade do Carrefour, que contratou uma empresa que executa serviços emergenciais no Porto de Santos.

Equipes dos bombeiros também auxiliaram e mais de 4 mil litros de água foram utilizados para lavar as galerias do canal.

Medidas cabíveis

O Carrefour, via nota, divulgou que recebeu a multa de R$ 12.555 milhões e que irá analisar dentro do prazo legal as medidas cabíveis.

Em relação ao vazamento, o supermercado disse que acionou empresas especializadas que trabalharam na contenção do óleo e que permanece à disposição das autoridades competentes.

Com informações do G1

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR