Sob pressão às vésperas da Cúpula do Clima, Bolsonaro almoça com ministros e posa para foto com tag #FicaSalles

O próprio Ricardo Salles esteve no encontro e postou a mesma foto, defendendo sua própria permanência no governo; trata-se de uma resposta à campanha #ForaSalles que tem movimentado as redes sociais

O presidente Jair Bolsonaro demonstrou, nesta quarta-feira (21), que está sentindo a pressão contra o seu ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Nesta quinta-feira (22), terá início a Cúpula do Clima, que reunirá líderes globais, incluindo o presidente brasileiro, para discutir medidas relacionadas às mudanças climáticas e em prol da preservação do meio ambiente.

Apontado como o principal responsável pela devastação ambiental no Brasil, inclusive sendo acusado de atrapalhar fiscalização de desmatamento, Salles vem sendo denunciado, por personalidades brasileiras e internacionais, através da campanha #ForaSalles, que visa alertar os líderes globais sobre a atuação do ministro brasileiro e que vem movimentando as redes sociais nos últimos dias.

A campanha incomodou Bolsonaro, Salles e outros integrantes do governo, que se reuniram em um almoço na casa do Ministro das Comunicações, Fábio Faria, e posaram para uma foto que foi postada por Faria com a tag #FicaSalles, em resposta à campanha crítica ao titular do Meio Ambiente. O próprio Salles compartilhou a publicação e utilizou a tag para defender sua própria permanência na pasta.

O ministro, inclusive, chegou ficar irritado com críticas feitas pela cantora Anitta, que entrou na campanha #ForaSalles, e xingou a artista, fazendo ainda desafios sobre geografia com o intuito de questionar sua inteligência.

Celebridades fazem pressão

Dezenas de celebridades brasileiras e norte-americanas, incluindo o ator Leonardo DiCaprio, a cantora pop Katy Perry e Gilberto Gil, divulgaram uma carta nesta terça-feira (20) pressionando o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, a não fechar nenhum acordo ambiental com o presidente Jair Bolsonaro.

“Instamos seu governo a ouvir nosso apelo e não se comprometer com nenhum acordo com o Brasil neste momento”, disseram as celebridades no texto. “Nós nos juntamos a uma coalizão crescente para estimular seu governo a rejeitar qualquer acordo com o Brasil até que o desmatamento seja reduzido, os direitos humanos sejam respeitados e a participação significativa da sociedade civil seja alcançada”, completou a carta.

Os signatários do documento também incluem os atores Joaquin Phoenix, Mark Ruffalo, Rosario Dawson, Uzo Aduba, Sigourney Weaver, Jane Fonda, Alec Baldwin e Orlando Bloom, bem como Caetano Veloso e o músico Philip Glass.

Na semana passada, Bolsonaro enviou uma carta ao mandatário estadunidense se comprometendo com o fim do desmatamento ilegal no Brasil até 2030. O presidente brasileiro disse ainda que, para isso, está disposto a ouvir organizações não governamentais (ONGs), que fazem parte do terceiro setor.

No texto, Bolsonaro também admite o aumento das taxas de desmatamento, mas diz que a tendência ocorre desde 2012, quando Dilma Rousseff (PT) estava na Presidência. Contudo, a destruição da floresta amazônica se intensificou com a eleição do ex-militar, cujo governo enfraqueceu políticas de proteção ambiental.

Com o mesmo intuito de fazer um alerta ao presidente norte-americano, a Associação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) lançou um vídeo em inglês endereçado a Biden cobrando que o mandatário ignore as investidas de Bolsonaro. Além disso, na semana anterior, cerca de 200 entidades da sociedade civil enviaram uma carta ao presidente norte-americano criticando as negociações a portas fechadas com o presidente brasileiro.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.