Tenente-coronel da PM de São Paulo assume presidência do Ibama

A ação faz parte do processo de militarização dos órgãos ambientais, comandado por Ricardo Salles

Depois do afastamento de Eduardo Fortunato Bim da presidência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), por determinação do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), um tenente-coronel da Polícia Militar de São Paulo assumiu o posto.

Nomeado em agosto de 2019 diretor de Planejamento, Administração e Logística do Ibama, Luis Carlos Hiromi Nagao assumiu a presidência do instituto nesta quinta-feira (20).

A ação faz parte do processo de militarização dos órgãos ambientais, comandado por Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente, de acordo com reportagem de André Borges, em O Estado de S. Paulo.

Desde o começo da gestão de Salles, diretorias e coordenações do Ibama, Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio) e do próprio Ministério passaram a ser ocupados por servidores da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Salles foi alvo de busca e apreensão da Polícia Federal (PF) nesta quarta-feira (19). Entre os crimes supostamente praticados há corrupção, advocacia administrativa, prevaricação e, especialmente, facilitação de contrabando.

Responsável

Hiromi, que assume interinamente o comando do Ibama, já vinha sendo responsável pelas principais decisões do órgão envolvendo contratos, mudanças de regimentos, entre outros assuntos.

Nomeações de coordenadores passaram por ele, sem que o próprio Eduardo Bim, então presidente, tivesse conhecimento de quem se tratava.

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR