Rádio Guaíba e Correio do Povo também demitem Rodrigo Constantino

Decisão veio após dispensa de Jovem Pan e Record, na esteira de falas sobre estupro feitas pelo comentarista

Rodrigo Constantino - Foto: Reprodução/YouTube
Escrito en MÍDIA el

Depois de Jovem Pan e Record, foi a vez de a Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo, ambos do Rio Grande do Sul, anunciarem a demissão do comentarista de extrema-direita Rodrigo Constantino, na tarde desta quinta-feira (5).

A decisão veio após o colunista dizer em transmissão pela internet que colocaria a filha de castigo caso ela alegasse ter sido estuprada, depois de beber em uma festa com mais homens do que mulheres e se “arrependesse” da relação, e que não denunciaria seu estuprador.

Os dois veículos fizeram uma nota conjunta. O comunicado diz: “Diante dos fatos recentes e em sintonia com a decisão tomada pelo Grupo Record, a Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo optaram por rescindir o contrato com o colunista Rodrigo Constantino, que ocupava espaços semanais na rádio e também no jornal”

https://twitter.com/RdGuaibaOficial/status/1324415374155255817

O comentarista ainda não se pronunciou sobre as dispensas dos veículos gaúchos. Sobre a demissão da Record, ele tuitou que a emissora “foi mais um veículo que não aguentou a pressão. O departamento comercial pede ‘arrego’, pois recebe pressão de fora, dos chacais e hienas organizados, dos ‘gigantes adormecidos’. Sim, perdi mais um espaço, mas sigo com minha total independência e com minha integridade”.

O comentário e a nota posterior

Em transmissão ao vivo nas redes sociais, na quarta-feira (4), o colunista sugeriu que a culpa por um abuso sexual seria da vítima e não do agressor ao dizer que castigaria sua filha se ela passasse por uma situação do tipo.

“Se minha filha chegar em casa, eu dou boa educação para que isso não aconteça, mas a gente não controla tudo, se ela chega em casa e fala: ‘pai, fui pra uma festinha e fui estuprada’. Eu vou falar: ‘Me dá as circunstâncias’. ‘Ah, fui pra uma festinha, eu e três amigas, tinha 18 homens, nós bebemos muito, tava ficando com dois caras e eu acabei dormindo. Fui abusada’. Ela vai ficar de castigo feio, eu não vou denunciar um cara desse pra polícia”, disparou Constantino.

O comentarista publicou um esclarecimento no Twitter nesta quinta-feira (5). Nela, ele diz que a fala foi tirada do contexto, que na verdade havia falado que castigaria a filha se ela alegasse abuso por ter se arrependido da relação sexual. Ainda escreveu que, na verdade, se alguém tocasse em um fio de cabelo de sua filha sem que ela consentisse, ele “partiria com tudo para cima do canalha”. Acusou ainda seus detratores de serem “fascistas”.

https://twitter.com/Rconstantino/status/1324392906623471616