Censura: Jornalista do The Intercept Brasil é intimado por denúncias contra violência policial

A delegacia que abriu inquérito contra Leandro Demori é a mesma que investigou Felipe Neto e os apresentadores do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcellos

Em mais uma atitude contrária à liberdade de imprensa, a Polícia Civil do Rio de Janeiro decidiu abrir inquérito contra o jornalista Leandro Demori, editor-executivo do site The Intercept Brasil.

O objetivo é apurar o teor de postagens a respeito da Chacina do Jacarezinho, operação policial que deixou 28 mortos, no dia 6 de maio, na favela que recebe o mesmo nome, de acordo com reportagem de Catia Seabra, na Folha de S.Paulo.

Demori foi intimado a depor nesta quinta-feira (10). O inquérito, instaurado pela Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, também tem como alvo o biólogo Lucas Sá Barreto Jordão. Ele fez um comentário publicado no site do El País Brasil no dia da operação, a mais violenta da história do Rio de Janeiro.

A ocorrência que originou o inquérito, instaurado pela delegada Daniela dos Santos Rebelo Pinto, tem como testemunha o delegado Pablo Dacosta Sartori. Na ocorrência, ele aparece como a pessoa que comunicou eventual crime de calúnia.

Sartori é titular da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática e tem histórico em tentar censurar manifestações de opinião. Ele é o mesmo que intimou o youtuber Felipe Neto, com base na Lei de Segurança Nacional.

Além disso, Sartori instaurou inquérito contra os apresentadores do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcellos, por terem noticiado uma denúncia do Ministério Público contra o senador Flávio Bolsonaro (PL-RJ), filho de Jair Bolsonaro.

Em 12 de maio, Sartori comunicou ocorrência contra Demori, que, quatro dias antes, reproduziu, nas redes sociais, trechos de um texto de sua autoria. O jornalista afirmou que policiais que participaram da Chacina do Jacarezinho “são conhecidos à boca pequena como ‘facção da Core’, a Coordenadoria de Recursos Especiais”.

“A história cresce quando juntamos outros fatos: a ‘facção’ está envolvida no caso João Pedro (menino de 14 anos, morto durante uma operação), na Chacina do Salgueiro (oito mortos) e no caso do helicóptero da Maré (oito mortos). São 41 homicídios somente nesses casos. Quantos mais?”, disse Demori.

Princípios éticos

O jornalista citou que há uma inversão de princípios éticos. “O que me espanta é que, em vez de usarem o aparato policial para investigar a denúncia, investigam o jornalista.”

O editorial do The Intecept Brasil desta terça (8) relatou: “Em democracias saudáveis, a polícia estaria preocupada com a pilha de mortos que a Core vem deixando em suas operações. No Brasil dos nossos tempos, a polícia quer intimidar e pressionar o mensageiro. Demori foi intimado a comparecer na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática na próxima quinta-feira, às 14h. A DRCI é a mesma que intimou William Bonner, Renata Vasconcellos e Felipe Neto, em casos com evidente viés político. Tudo indica que a DRCI se tornou uma delegacia de repressão política. O Intercept não vai se curvar a isso, nunca”.

Avatar de Lucas Vasques

Lucas Vasques

Jornalista e redator da Revista Fórum.