Em nota, STF esclarece que não pretende matar Bolsonaro após fake news de Leda Nagle

A apresentadora e militante bolsonarista disse que a PF investiga um plano de ministros do STF e do ex-presidente Lula de matar Bolsonaro; "Antes de compartilhar informações, verifique se a fonte é segura", diz a Corte

O Supremo Tribunal Federal (STF) precisou fazer algo pouco comum nesta segunda-feira (19). Em seu site oficial, a Corte divulgou uma nota em que esclarece que a notícia espalhada pela apresentadora e militante bolsonarista Leda Nagle de que ministros do Supremo e o ex-presidente Lula estariam planejando matar Jair Bolsonaro.

“Circula pelas redes sociais um post atribuído ao novo diretor-geral da Polícia Federal que aponta um mentiroso plano envolvendo ministros do STF. Trata-se de perfil não verificado e, segundo a PF, falso. O STF reitera o alerta para a importância da checagem de informações suspeitas, como forma de evitar a propagação de fake news com o nome de autoridades e membros da Suprema Corte. Antes de compartilhar informações, verifique se a fonte é segura”, diz a nota.

Entenda

Na manhã desta segunda-feira (19), Leda Nagle compartilhou um vídeo fake news onde reproduz uma postagem de um suposto delegado que teria descoberto um plano do presidente Lula para matar o presidente Bolsonaro.

O delegado ao qual Leda Nagle se refere é o novo diretor da Polícia Federal, Paulo Maiurino, que teve o seu nome relacionado a vários perfis fakes no Twitter, entre eles, o que serve de base para a “denúncia” de Nagle.

“Partiu daqui (Twitter) em conjunto com Lula Oficial (perfil do ex-presidente na rede) e outro a ideia de matar Jair Bolsonaro. Por enquanto eu não posso dizer muito, mas vocês saberão”, revela Leda Nagle em tom conspiratório.

Após a péssima repercussão da fake news, a apresentadora foi às redes sociais para pedir desculpas. Ela afirmou que a “notícia” havia sido divulgada por ela no “Clube da Notícia”, um grupo de conteúdo fechado em que tece comentários todas as noites sobre “as principais notícias”.

No sábado, entre outras notícias, eu li um twitte (SIC) viralizado, na live fechada para o grupo do Clube da Notícia. Algum membro do grupo, por má fé ou porque ficou impactado pela notícia, pinçou um trecho de 2 minutos de uma live de 47 minutos e viralizaou antes mesmo que eu tivesse voltado com a checagem completa da imformação, até porque nao tem live no domingo e isto só aconteceria às 20 horas de hoje na live aberta de toda segunda feira”, escreveu a jornalista (a Fórum manteve a grafia original) no Twitter.

No texto, Leda lamenta o ocorrido e diz que “agora que vocês já conhecem o que aconteceu peço desculpas (SIC)”.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.