Em notificação, AGU manda IstoÉ publicar capa que trata Bolsonaro como herói

União quer direito de resposta à capa da revista que compara Bolsonaro a Hitler e sugere imagem épica com a seguinte chamada: "Governo Bolsonaro defendeu a vida, o emprego, e liberdade e a dignidade"

A Advocacia-Geral da União (AGU) enviou à IstoÉ, nesta terça-feira (19), uma notificação extrajudicial em que solicita direito de resposta à reportagem da última edição impressa da revista, que foi às bancas na semana passada. A edição leva uma capa em que Jair Bolsonaro é comparado a Adolf Hitler e a matéria trata sobre supostos crimes cometidos pelo presidente que constarão no relatório final da CPI do Genocídio.

A capa chama o chefe do Executivo de “mercador da morte” e, no texto, é afirmado que Bolsonaro “patrocinou experiências desumanas inspiradas no horror nazista”.

A AGU, além de pedir à IstoÉ direito de resposta com um texto elogioso ao presidente, ainda solicita que a revista publique uma nova capa, em sua próxima edição, que traria fotos de Bolsonaro em tom heroico e com a seguinte chamada: “Governo Bolsonaro defendeu a vida, o emprego, a liberdade e a dignidade”.

“Comparar este Governo a um que planejou e executou o extermínio do próprio povo é um artifício ao mesmo tempo ridículo, pueril, acintoso e criminoso. E chega a ser um deboche com a inteligência de quem ainda lê esta revista”, diz uma parte do texto enviado pela AGU para que a revista publique.

Na notificação extrajudicial, a AGU informa que, se a IstoÉ recusar a publicação do direito de resposta no prazo de 7 dias, entrará com ação judicial contra a revista. Até o momento, a IstoÉ não informou se acatará a solicitação.

Confira, abaixo, a capa original da revista e a sugerida pela AGU.

Publicidade

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR