sábado, 24 out 2020
Publicidade

Imprensa internacional repercute discurso de Lula e o aponta como “ameaça para Bolsonaro”

“As pessoas esperam que Lula concorra novamente à presidência nas próximas eleições”, escreveu o correspondente do diário britânico The Guardian, em artigo publicado nesta terça-feira

O discurso do Luiz Inácio Lula da Silva neste 7 de setembro não foi assunto apenas no Brasil. Meios de imprensa de vários países do mundo comentaram o vídeo publicado pelo líder petista em suas redes sociais. Na maioria dos casos, apontando que ele posiciona o ex-presidente como principal ameaça a Bolsonaro na corrida presidencial para 2022.

Por exemplo, no jornal britânico The Guardian, o correspondente Tom Phillips destacou as principais críticas de Lula a Bolsonaro, analisou que seria tentativa de retomar a iniciativa depois de meses reagindo aos ataques contra ele por parte da direita – o artigo desta terça-feira (8) lembra que o ex-presidente não concorreu em 2018 devido a uma sentença de Sérgio Moro, que depois seria ministro da Justiça de Bolsonaro –, e terminou concluindo que “as pessoas esperam que Lula concorra novamente à presidência nas próximas eleições”.

Já o uruguaio La Diaria contou que Lula “insistiu em apresentar as suas ideias sobre possíveis caminhos para que o Brasil retome o desenvolvimento após a pandemia – que ele qualificou como uma crise mal administrada pelo atual governo –, e outros problemas que apontou na gestão de Bolsonaro, e terminou se colocando ‘à disposição do povo brasileiro’, deixando claro que seguirá atuando politicamente para derrotar o atual presidente nas urnas”.

Na Argentina, o El Destape mostrou que “diante da catástrofe sanitária no Brasil, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acusou Jair Bolsonaro de deixar a pandemia do coronavírus se tornar uma ‘arma de destruição’ do povo brasileiro, e sentenciou: ‘era possível sim evitar tantas mortes’”.

Por sua vez, o meio venezuelano TeleSur enfatizou o trecho do discurso em que Lula diz que “nenhuma solução terá sentido sem os trabalhadores como protagonistas. Não contem comigo para nenhum acordo no qual o povo seja mero espectador. Mais do que nunca, estou convencido de que a luta pela igualdade social implica em um processo que obriga os ricos a pagar impostos em proporção aos seus lucros e suas fortunas”.

Victor Farinelli
Victor Farinelli
Jornalista formado pela Universidade Católica de Santos, há 15 anos é correspondente na Argentina (2004 e 2005) e no Chile (desde 2006).