JN destaca que Bolsonaro mudou discurso sobre corrupção no governo

O relator da CPI do Genocídio, Renan Calheiros, rebateu o presidente: "Ele não só sabia como participou pessoalmente da negociação"

O Jornal Nacional desta segunda-feira (28) destacou que o presidente Jair Bolsonaro evitou negar categoricamente a existência de um esquema de corrupção na compra da vacina Covaxin. Em conversa com apoiadores, o presidente afirmou que “não tem como saber o que acontece nos ministérios”.

“O presidente muda o discurso. Em vez de repetir que o governo dele é livre de corrupção, Bolsonaro diz agora que não tem como saber o que acontece nos ministérios”, disseram os apresentadores William Bonner e Ana Luiz Guimarães na abertura do telejornal.

“Eu nem sabia como estava a questão da Covaxin. Eu não tenho como saber o que acontece nos ministérios. Vou na confiança em cima de ministros e nada fizemos de errado”, declarou durante conversa com apoiadores no cercadinho do Alvorada.

O JN apontou que essa foi a primeira vez que o presidente disse que não tem controle sobre tudo que acontece no governo e que isso contraria o que Bolsonaro sempre afirmou: de que o governo era livre de corrupção. O telejornal exibiu alguns discursos com tal afirmação.

O relator da CPI do Genocídio, Renan Calheiros (MDB-AL), criticou o presidente. “Ele não só sabia como participou pessoalmente da negociação. No dia 8 de janeiro ele mandou a carta ao primeiro-ministro da Índia. No dia 25 de fevereiro a compra foi realizada”, declarou.

A reportagem foi ao ar logo após o telejornal exibir a notícia de que senadores apresentaram notícia-crime contra Bolsonaro por possível crime de prevaricação.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global