sábado, 24 out 2020
Publicidade

JN classifica como “derrota do meio ambiente” decisão do Conama promovida por Salles e ruralistas

O telejornal da TV Globo destacou que foi a CNA quem promoveu o "revogaço"

O Jornal Nacional, da TV Globo, desta segunda-feira (28) adotou forte tom crítico à decisão do Conselho Nacional do Meio Ambiente, comandado pelo governo e representardes do agro e da indústria, de derrubar resoluções anteriores que tratavam sobre Áreas de Proteção Permanente.

“Uma derrota do meio ambiente no Brasil. Uma votação do Conselho Nacional do Meio Ambiente, presidido pelo ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, revogou regras que protegiam áreas de manguezais e de restingas e provocou protestos e críticas”, disse o apresentador William Bonner na abertura da matéria.

Já na escalada, o telejornal relacionou o episódio com a declaração feita por Salles durante a reunião ministerial de 22 de abril, quando ele disse que o governo deveria aproveitar a pandemia para “passar a boiada” e desregulamentar o que fosse possível.

A reportagem conduzida pela jornalista Cláudia Bomtempo destacou que as revogações definidas derrubaram regras estabelecidas há mais de 20 anos e foram impulsionadas pela Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A oposição do Ministério Público, de entidades ambientalistas e de estados também foi explicitada.

O JN também expôs que foi um decreto do presidente Jair Bolsonaro que encolheu a representação da sociedade civil e permitiu que o governo tivesse maioria para decidir. As ações de parlamentares para tentar derrubar o “revogaço” também foram citadas.

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.