JN, da Globo, destaca ataque de Weintraub à China e mostra riscos ao Brasil

A edição do Jornal Nacional desta segunda-feira (6) destacou os ataques do ministro da Educação, Abraham Weintraub, aos chineses. O ministro publicou no sábado (4) a capa de uma edição do gibi da Turma da Mônica que se passa na China, e usou a fala típica do personagem Cebolinha, que troca o R pelo L, […]

A edição do Jornal Nacional desta segunda-feira (6) destacou os ataques do ministro da Educação, Abraham Weintraub, aos chineses. O ministro publicou no sábado (4) a capa de uma edição do gibi da Turma da Mônica que se passa na China, e usou a fala típica do personagem Cebolinha, que troca o R pelo L, para ridicularizar a forma com a qual imigrantes asiáticos falam português. Weintraub ainda insinuou que a China obteria benefícios advindos da pandemia de Covid-19.

A reportagem do JN relatou o constrangimento diplomático entre os países, citou a nota da Embaixada da China no Brasil que afirma que “as declarações são completamente absurdas e desprezíveis, que têm cunho fortemente racista e objetivos indizíveis”.

O noticiário ainda lembrou que não foi a primeira vez que houve um constrangimento com o país, em referência a uma declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) responsabilizando a China pela pandemia.

Por outro lado, o JN destacou a dependência do Brasil ao país. É na China que está a produção de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) necessários para que os profissionais de saúde tratem os infectados pelo coronavírus, além de respiradores. Segundo a reportagem, o Ministério da Saúde já adquiriu 40 milhões de EPIs e está em processo de aquisição de 200 milhões com entrega daqui a um mês. Em relação a respiradores, há 65 mil no país, mas são precisos mais 15 mil. Segundo a matéria, seria preciso uma resposta do Itamarati aos chineses.

Auxílio do governo

O JN também destacou que até agora o governo federal não conseguiu efetivar o pagamento do seguro-quarentena de 600 reais aprovado há mais de uma semana pelo Congresso. Trabalhadores entram no sexto dia de abril sem saber quando vão receber o auxílio. “Falta sentido de urgência ao governo, todas as pessoas que estão no Bolsa Família e no cadastro único já poderiam estar recebendo”, disse Ricardo Henriques, economista ouvido pelo jornal.

A coletiva do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, também foi exibida, após as ameaças de que seria demitido do governo.

Destaque aos governadores

Publicidade

O jornal deu amplo destaque à coletiva de imprensa do governo do Estado de São Paulo, onde o governador, João Doria, anunciou a prorrogação da quarentena até 22 de abril. O JN também mostrou trecho da fala do infectologista David Uip, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, que ficou 14 dias afastado por ter sido infectado pelo Covid-19. “Por favor, aqueles que estão subestimando, achando que não é nada ou que é pouco, eu desejo ardentemente que não adoeçam. É um sofrimento muito grande”, disse.

Outro destaque foi a iniciativa das prefeituras de Maricá e Niterói que vão repassar, cada uma, R$ 45 milhões para o governo do Estado construir um hospital de campanha em São Gonçalo, que vai receber infectados pelo novo coronavírus. O montante foi pedido pelo governador do Rio, Wilson Witzel, aos dois prefeitos das cidades que recebem royalties e participações especiais provenientes da extração de petróleo do pré-sal em seus territórios.

Publicidade
Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR