JN, da Globo, expõe contradição de Bolsonaro e revela que ele realizou trocas na segurança pessoal

O telejornal desmonta a tese de que o presidente não estaria falando da Polícia Federal na reunião ministerial de 22 de abril

O Jornal Nacional, da TV Globo, exibiu uma reportagem exclusiva nesta sexta-feira (15) que mostra que o presidente Jair Bolsonaro fez promoções de militares ligados à segurança pessoal, contrariando o que foi alegado por ele ao comentar sobre a reunião ministerial de 22 de abril – alvo de inquérito da Polícia Federal.

“Um ato de Bolsonaro põe em xeque a versão dele para o que disse na reunião que antecedeu a demissão de Sérgio Moro”, disse o apresentador William Bonner já na abertura do programa.

Segundo o JN, apesar do presidente alegar que as queixas que fez se referiam à segurança dele, 28 dias antes da reunião, o presidente havia promovido o responsável pela segurança do ex-capitão.

Reportagem da jornalista Andreia Sadi mostra que o general André Laranja Sá Correia, que cuidava da segurança de Bolsonaro, foi promovido pelo presidente. Ele era diretor do departamento de segurança presidencial e foi para o posto de comando da 8ª Brigada de Infantaria Motorizada do Exército. Para o seu lugar, foi alçado o coronel Gustavo Suarez da Silva- subordinado direto.

A revelação do JN contradiz as alegações do presidente de que ele se referia à segurança pessoal quando dizia que iria mudar “a segurança” na reunião ministerial de 22 de abril e não teria conseguido. Até mesmo no Rio de Janeiro – alvo direto do ex-capitão – houve troca, em janeiro.

“Já tentei trocar gente da segurança nossa no Rio de Janeiro oficialmente e não consegui. Isso acabou. Eu não vou esperar f. minha família toda de sacanagem, ou amigo meu, porque eu nao posso trocar alguém da segurança da ponta de linha que pertence à estrutura. Vai trocar; se não puder trocar, troca o chefe dele; não pode trocar o chefe, troca o ministro. E ponto final. Não estamos aqui para brincadeira”, disse o presidente, segundo trecho de transcrição da Advocacia-Geral da União

Segundo o ex-ministro Sérgio Moro, o objetivo de Bolsonaro com a declaração era intervir na PF.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.