quarta-feira, 30 set 2020
Publicidade

JN destaca operação que flagra fraudes que liberam terras embargadas na Amazônia

Polícia Federal descobriu que dados de servidores do Ibama foram obtidos de maneira ilegal e eram usados para alterar sistema que registrava infrações

O Jornal Nacional, da TV Globo, destacou  nesta terça-feira (15) a operação da Polícia Federal que descobriu a liberação fraudulenta de multas ambientais e terras embargadas na Amazônia. Segundo a PF, a quadrilha usava certificados digitais, tokens, o nome da operação, obtidos de maneira fraudulenta. Esses tokens eram de servidores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Com esses certificados, os criminosos tiravam as infrações nos sistemas do Órgão Ambiental Federal.

De acordo com a PG, as fraudes beneficiaram proprietários rurais e empresários do ramo de exploração florestal e agropecuária. As áreas embargadas estavam nos estados do Pará e Mato Grosso.

 Foram constatados 122 desembargos irregulares em nome 54 pessoas físicas ou jurídicas. O total de multas canceladas foi de cerca de R$ 150 milhões. Tanto as multas quanto os embargos apagados se referiam a áreas ambientais sensíveis da Amazônia legal.

Com isso, os proprietários podiam explorar as áreas e até obter financiamentos, que não são concedidos em caso de a localidade estar no sistema com a infração registrada.

O Jornal Nacional colocou ainda na matéria que um dos proprietários beneficiados é o ex-deputado Sandro Mabel, do MDB de Goiás.

Fabíola Salani
Fabíola Salani
Graduada em Jornalismo pela Universidade Metodista de São Paulo. Trabalhou por mais de 20 anos na Folha de S. Paulo e no Metro Jornal, cobrindo cidades, economia, mobilidade, meio ambiente e política.