quarta-feira, 28 out 2020
Publicidade

JN destaca relação próxima de Bolsonaro com senador do dinheiro no bumbum

"Não é de hoje o apreço de Bolsonaro por Chico Rodrigues", disse a jornalista Delis Ortiz no telejornal da TV Globo

O Jornal Nacional, da TV Globo, desta quinta-feira (15) deu destaque à proximidade do senador Chico Rodrigues (DEM-RR) – afastado do cargo após ser flagrado com dinheiro escondido nas nádegas – com o presidente Jair Bolsonaro. Rodrigues era vice-líder do governo no Senado, empregava Léo Índio, primo dos filhos do presidente, em seu gabinete e já teve declaração de “união estável” por parte do ex-capitão.

“Não é de hoje o apreço de Bolsonaro por Chico Rodrigues”, destacou a jornalista Delis Ortiz em reportagem do JN sobre o caso.

O telejornal expôs que os vínculos do presidente com o senador vão de antes da chegada de Bolsonaro ao Palácio do Planalto. Em vídeo gravado em 2018, o ex-capitão definiu como “quase uma união estável” a “amizade” de mais de 20 anos entre os dois.

Outro fator que o noticiário da Globo trouxe foi a atuação de Léo Índio como assessor parlamentar do senador. O primo dos filhos do ex-capitão tinha o cargo “SF02”, um dos mais altos do Senado, com salário de R$ 22.943,73 mensais. Ele se demitiu nesta quarta.

Além disso, a reportagem apontou que cabia a Rodrigues a defesa da nomeação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) como embaixador do Brasil nos Estados Unidos, indicação que não ocorreu.

Outros escândalos

O telejornal não se limitou a tratar sobre Rodrigues e contradisse a declaração de Bolsonaro de que não havia corrupção em seu governo com investigações que atingem dois representantes do governo no Congresso: Ricardo Barros (Progressistas-PR), líder na Câmara, e Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), líder no Senador.

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.