“Jornal Hoje”, da Globo, minimiza ataque de Bolsonaro ao Congresso e STF

Ao tratar do assunto, emissora fugiu das críticas ao presidente e falou de reformas econômicas

A Rede Globo tem sido criticada nas redes sociais, nesta quarta-feira (26), por minimizar o ataque de Jair Bolsonaro à democracia e às instituições com a divulgação de um vídeo em apoio ao ato que pedirá o fechamento do Congresso e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Ao tratar do acontecido no Jornal Hoje, a emissora insinuou que as reformas econômicas propostas pelo presidente têm maior relevância que o ataque.

“Eu conversei hoje mais cedo com o ministro Luís Eduardo Ramos, que é o ministro responsável pela articulação política do governo”, comentou a jornalista Andreia Sadi no programa. “Ele acha que isso não vai atrapalhar a articulação, defendeu o presidente. Na avaliação dele, ele diz que não houve nenhum tipo de crítica, não foi contra o Congresso, e os assessores do presidente agora vão trabalhar como uma espécie de bombeiros”, continuou.

Logo após o comentário, a jornalista passou a falar das reformas “urgentes” que circulam no Congresso, como “aquela em relação aos vetos do orçamento impositivo”.

O vídeo divulgado por Bolsonaro atentando contra as instituições originou críticas por parte de personalidades diversas da política.

“Melhor gritar enquanto se tem voz”, disse o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso sobre o ocorrido, no Twitter.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), também se manifestou: “Acima de tudo e todos está o respeito às instituições democráticas”.

Para juristas, o incentivo de Bolsonaro a um ato contra o Congresso e o STF representa um crime de responsabilidade, passível de impeachment.

Avatar de Redação

Redação

Direto da Redação da Revista Fórum.