Jornal Nacional aponta que “órgãos do governo se mobilizaram” para livrar Flávio Bolsonaro do Caso Queiroz

O telejornal repercutiu as denúncias trazidas pela Revista Época que envolvem o GSI e a Abin

O Jornal Nacional, da TV Globo, deu destaque nesta sexta-feira (23) às revelações trazidas pelo colunista Guilherme Amado, da Revista Época, sobre o uso de órgãos do governo, como o Gabinete de Seguranças Institucional (GSI) e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin), por parte da defesa do senador Flávio Bolsonaro – filho do presidente Jair Bolsonaro.

“À pedido da defesa do senador Flávio Bolsonaro, órgãos do governo se mobilizaram em busca de elementos que permitissem anular investigações sobre o ex-assessor Fabrício Queiroz”, disse a apresentadora Renata Vasconcellos na abertura da reportagem.

A matéria exibiu trechos da reportagem da Época e apontou que o encontro das advogadas com Bolsonaro, Augusto Heleno, do GSI, e Alexandre Ramagem, da Abin, não constou na agenda oficial das autoridades mas foi confirmada pela defesa de Flávio.

“Segundo a reportagem e o diretor da Abin deixaram o encontro com a missão de, em nome da segurança da família presidencial, chegar se o roteiro narrado pela defesa de Flávio se sustentava”, reforçou o repórter Júlio Mosquéra.

O telejornal apontou ainda partidos de oposição se articulam pela abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o caso e pelo afastamento de Heleno e Ramagem de suas funções.

“O presidente da República não pode usar o cargo para fins pessoais, particulares”, disse o deputado federal Alessandro Molon, líder do PSB na Câmara, ao JN.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.