Jornal Nacional dá amplo destaque aos atos do 3J contra Bolsonaro

Cartazes chamando o presidente de genocida foram exibidos no telejornal

O Jornal Nacional, da TV Globo, garantiu amplo espaço para os atos da jornada do #3J contra o presidente Jair Bolsonaro. A mobilização, maior do que a ocorrida em junho, aconteceu em todas as capitais do país e pediu a abertura de pedido de impeachment do mandatário.

Notícias relacionadas

“Milhares de brasileiros voltam às ruas em todas as capitais e no Distrito Federal pedindo o impeachment do presidente Jair Bolsonaro. Os manifestantes também apoiaram as investigações das denúncias de corrupção na compra de vacinas”, disseram os apresentadores Ana Luíza Guimarães e Flávio Fachel na abertura do telejornal.

O JN dedicou mais de cinco minutos aos protestos e exibiu imagens de Rio de Janeiro, Recife, Belém, Maceió, Teresina, Campo Grande, Belo Horizonte, Porto Alegre, Curitiba, Salvador, Fortaleza, Brasília e São Paulo.

O telejornal destacou que houve preocupação com medidas sanitárias e exibiu cartazes atribuindo a responsabilidade das 523 mil mortes durante a pandemia a Bolsonaro. Faixas que pressionavam o presidente da Câmara, Arthur Lira, pela abertura de pedido de impeachment também foram mostradas.

O programa mostrou que foram ocupadas 7 quarteirões da Avenida Paulista em São Paulo e exibiu imagens dos discursos de Gleisi Hoffmann (PT), Orlando Silva (PCdoB), Fernando Haddad (PT) e Guilherme Boulos (PSOL).

Outro ponto que foi repercutido foi o aumento da presença de camisas verde-e-amarelas e da bandeira do Brasil.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e pela América Latina, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum Global

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR