domingo, 20 set 2020
Publicidade

Jornal Nacional destaca suposto “protagonismo” de Crivella em esquema de corrupção montado na Prefeitura do Rio

O telejornal teve acesso a uma troca de mensagens de um ex-marqueteiro do bispo, que afirma que "o governo rouba, o Prefeito sabe que rouba e não faz nada".

O Jornal Nacional, da TV Globo, desta sexta-feira (11) trouxe revelações sobre o possível no esquema e de um suposto QG de lavagem de dinheiro comandado prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), que envolveria a família dele a Igreja Universal do Reino de Deus.

“O prefeito Marcelo Crivella é acusado pelo MP de chefiar um esquema de peculato, fraude e lavagem de dinheiro”, disse a apresentadora Renata Vasconcellos na abertura do telejornal. “Investigações do Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro com base em documentos e trocas de mensagens colocam o prefeito do Rio, Marcelo Crivella como suspeito de protagonizar um esquema de corrupção na Prefeitura”, reforçou Vasconcellos na chamada da matéria.

Segundo a reportagem de Pedro Bassan, os procuradores apontam que o empresário Rafael Alves “é a figura mais influente na gestão de Crivella”, por ser operador de um “gigantesco esquema de corrupção, peculato, fraude a licitação e lavagem de dinheiro instalado no município do Rio”. Alves foi o empresário que Crivella ligou quando delegado da Polícia Civil atendeu.

“Os investigadores descobriram agora provas que revelam a efetiva participação e o protagonismo de Marcelo Crivella”, destacou o jornalista.

O telejornal teve acesso a uma troca de mensagens entre Alves e o doleiro Marcello Faulhaber. Na conversa, Alves diz que “seria capaz de revelar às autoridades todos os esquemas de corrupção e lavagem de dinheiro que ocorrem no governo e a direta participação de Marcelo Crivella, sua família e a igreja”.

Após romper com o prefeito, Faulhaber ainda afirma diretamente a Crivella que “esse é um governo que rouba, que o Prefeito sabe que rouba e que mesmo assim não faz nada”.

Cláudio Castro

O JN ainda comentou sobre as investigações contra o secretário de Educação do Rio de Janeiro, Pedro Fernandes, e a ex-deputada federal Cristiane Brasil e destacou um possível envolvimento do governador interino do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), no esquema de desvios em contratos de assistência social no governo do estado e na Prefeitura do Rio.

O telejornal exibiu um depoimento contra Castro relativo à Operação Catarata que foi dado por um ex-funcionário de uma empresa envolvida, Bruno Salem, que aponta participação do então vereador.

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.