Jornal Nacional destrói Wajngarten em edição sobre depoimento na CPI

O telejornal expôs as críticas ao ex-chefe da Secom, que quase saiu preso da comissão

O Jornal Nacional, da TV Globo, desta quarta-feira (12) deu grande destaque ao depoimento do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República, Fabio Wajngarten, durante a CPI do Genocídio. O telejornal expôs as contradições do ex-secretário e destacou a ameaça de prisão contra ele.

“O ex-secretário de Comunicação do Palácio do Planalto, Fabio Wajngarten, tentou se esquivar das perguntas, foi chamado de mentiroso e ameaçado de prisão”, destacou a jornalista Mariana Gross na chamada da reportagem sobre o depoimento.

O telejornal dedicou todo o seu primeiro bloco à CPI e mostrou documentos que contrariavam a posição de Wajngarten na comissão. O Jornal Nacional reproduziu também o áudio disponibilizado pela Revista Veja que mostra ele afirmando que houve “incompetência” do Ministério da Saúde.

As intervenções dos senadores Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Eliziane Gama (Cidadania-MA), Rogério Carvalho (PT-SE) e Fabiano Contarato (Rede-ES) ganharam destaque.

“O senhor mente, tomou conta de tudo pessoalmente mesmo com Covid, como atestou em live. É impossível que o chefe da Secom não se ocupe das campanhas do governo, especialmente a Brasil Não Pode Parar. O senhor também disse que fez campanha de prevenção à Covid, mas o senhor não fez nenhuma campanha nesse sentido. Isso aqui não é campanha de prevenção à Covid, isso é o estímulo para que as pessoas se largassem à própria sorte”, afirmou Carvalho, em discurso exibido no JN.

O telejornal mostrou ainda o momento em que Renan Calheiros desmente uma afirmação de Wajngarten de que a campanha “O Brasil Não Pode Parar” não foi divulgada nos canais oficiais da Secom. “Vossa Senhoria, mais uma vez, mente”, disparou o relator.

“Esse é o primeiro caso de alguém que, em desprestígio da verdade, mente. O presidente pode até decidir diferentemente, mas su vou, diante do flagrante evidente, pedir a prisão de Vossa Senhoria. O espetáculo de mentira que vimos aqui hoje não pode servir de precedente”, completou Calheiros.

Esse pedido foi negado pelo presidente Omar Aziz (PSD-AM), que atendeu a uma solicitação do senador Humberto Costa (PT-PE) e decidiu enviar uma cópia da transcrição da oitiva do ex-secretário de Comunicação da Presidência da República ao Ministério Público Federal (MPF).

Flávio Bolsonaro

O telejornal destacou ainda o ataque de Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) a Renan Calheiros. “O senador Flávio Bolsonaro, que não é integrante da comissão e não tem participado das sessões, pediu a palavra para atacar o relator. Renan respondeu ao ataque lembrando as suspeitas de rachadinha no gabinete de Flávio”, narrou a jornalista Cláudia Bomtempo.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina