Jornal Nacional revela que embaixada da China reclamou de ataques de Bolsonaro e cobrou nova postura para ajudar com IFA

Nesta segunda, secretário do Ministério das Relações Exteriores elogiou o governo chinês em audiência no Senado

O Jornal Nacional, da TV Globo, revelou nesta segunda-feira (17) que a Embaixada da China no Brasil reclamou dos ataques do presidente Jair Bolsonaro e cobrou uma nova postura para poder ajudar o país a receber as remessas do Ingrediente Farmacêutico Ativo (IFA) que estão atrasadas. O insumo, vindo do país asiático, é fundamental para a produção das vacinas Covidshield (Oxford/AstraZeneca/Friocruz) e CoronaVac (Sinovac/Butantan).

“Segundo o Jornal Nacional apurou, a Embaixada da China reclamou dos constantes ataques do governo brasileiro e cobrou manifestação pública em apoio ao governo chinês”, disse a jornalista Delis Ortiz em reportagem exibida nesta segunda.

O telejornal destacou que, desde os ataques feitos por Bolsonaro no dia 5 de maio, o Brasil ainda não recebeu os lotes de IFA que deveriam chegar neste mês. Informações do JN apontam que a reunião em que a Embaixada cobrou essa nova postura aconteceu no dia 7 de maio. Estavam presentes os ministros da Economia, da Saúde e das Relações Exteriores.

Durante audiência no Senado Federal realizada nesta segunda, o diretor do Departamento de Direitos Humanos e Cidadania do Ministério das Relações Exteriores, João Lucas Quental Novaes de Almeida, elogiou a China.

Na mesma audiência, o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, afirmou que novos lotes dodo FIA devem chegar nos dias 22 e 25 deste mês.

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina