segunda-feira, 28 set 2020
Publicidade

Jornalista Mário Magalhães denuncia censura do Facebook por foto de vítima da ditadura

O jornalista Mário Magalhães, que mantém um blog no UOL e uma coluna no The Intercept Brasil, denunciou em seu Twitter, nesta quinta-feira (5), a censura que sofreu do Facebook. Duas páginas que administra na rede social, uma delas da biografia que escreveu sobre Marighella (“Marighella – O Guerrilheiro que Incendiou o Mundo” – Cia das Letras), foram tiradas do ar por conta da publicação de uma foto de Gastone Beltrão, jovem cearense, estudante de economia, que se engajou na luta armada durante a ditadura e foi torturada e assassinada pelas forças repressoras do regime em 1972. Nesta postagem, Magalhães conta mais sobre a história da jovem.

A alegação do Facebook para a censura, de acordo com o jornalista, foi que a foto viola a política da rede social sobre “nudez” e “atividade sexual”. Na imagem, Gastone aparece já morta com os ferimentos da tortura. “O Facebook censura a história (…) A foto é jornalisticamente relevante para conhecer a história”, escreveu Mário Magalhães.

No Twitter, a imagem da militante não sofreu qualquer tipo de censura.

Redação
Redação
Direto da Redação da Revista Fórum.