terça-feira, 22 set 2020
Publicidade

Para defender Bolsonaro, Caio Coppolla questiona se “entrevistaram os mortos” por coronavírus

Durante participação no programa Grande Debate da CNN Brasil da última segunda-feira (13), Caio Coppolla questionou o debatedor Marcelo Feller se as vítimas do novo coronavírus foram entrevistadas se morreram por conta do presidente Jair Bolsonaro.

Leia também: Mais um: CNN afasta advogado que debate com Caio Copolla pelo uso do termo “genocida” contra Bolsonaro

“Só por causa do presidente? Eles entrevistaram os mortos, Marcelo? Eles perguntaram… psicografaram? Perguntaram pro morto ‘você saiu à rua por causa do presidente da República?”, disse o bacharel em direito ao comentar sobre pesquisa que aponta responsabilidade de Bolsonaro em ao menos 10% das mortes. “Isso aí é difícil, né?”, respondeu Feller.

Feller, que assumiu após a saída de Augusto Botelho, argumentava que a postura do presidente Jair Bolsonaro incentivou que as pessoas não seguissem o isolamento social à risca. “As condutas do presidente influenciam as pessoas. As pessoas saem mais na rua, as pessoas não usam máscara, as pessoas se sentem legitimadas”, declarou.

Coppolla disse ainda que “não há nexo de causalidade entre a conduta do presidente e as mortes”.

A posição adotada por Bolsonaro durante a pandemia tem sido bastante criticada por especialistas e reverberando internacionalmente de forma negativa. Pesquisas de opinião demonstram que a atuação do governo no período da pandemia não tem respaldo na maioria da população.

Encontro de gerações

Nesta quinta-feira (16), Coppolla participou de uma transmissão ao vivo no canal do apresentador Luis Ernesto Lacombe ao lado do ex-Band e do ex-apresentador Alexandre Garcia. O encontro foi compartilhado pelo presidente Jair Bolsonaro, que elogiou o trio no último sábado.

Assista:

Lucas Rocha
Lucas Rocha
Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.