Por R$ 3,5 milhões por mês da Globo para substituir Faustão, Huck deve desistir de candidatura presidencial

Segundo o jornalista Alessandro Lo-Bianco, negociação já é considerada "praticamente certa"

Há anos ensaiando uma candidatura à presidência, já tendo feito articulações com políticos que vão desde a direita, passando pela centro-direita e até a centro-esquerda, o apresentador Luciano Huck pode, mais uma vez, desistir de concorrer ao Planalto em troca de um generoso salário de R$3,5 milhões da Globo.

Essa é a proposta que a emissora teria feito a Huck para que substitua Fausto Silva, de saída do canal, com um programa aos domingos. A informação é do jornalista Alessandro Lo-Bianco.

“A TV Globo ofereceu no início dessa semana uma proposta de R$ 3 milhões e 500 mil mensais para que o apresentador Luciano Huck ocupe o local de Fausto Silva na programação dominical da emissora. Segundo uma fonte do alto escalão da emissora, a negociação já é considerada praticamente certa dentro do canal”, escreve Lo-Bianco em texto postado no seu blog.

Leia também: Luciano Huck estaria esperando decisão de Moro para definir candidatura à Presidência

Segundo o jornalista, a Globo ainda trabalha com a possibilidade de escolher Tiago Abravanel para substituir Faustão, mas Huck teria se mostrado interessado diante da proposta.

“Insatisfeitos com a opção do apresentador de largar temporariamente a televisão para se dedicar a uma disputa presidencial, a cúpula da Globo deu carta-branca para que a diretoria de contratos da emissora liberasse uma alta proposta, afim de que Huck desistisse da candidatura à presidência da república”, afirma ainda Lo-Bianco.

Leia também: Virtual presidenciável em 2022, Luciano Huck negocia com operador de fake news de Macri

Saiba detalhes aqui.

Publicidade

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista, editor de Política, desde 2014 na revista Fórum. Formado pela Faculdade Cásper Líbero (SP). Twitter @ivanlongo_

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR