Imprensa livre e independente
12 de abril de 2019, 07h57

Militar perde o posto após ser condenado por tráfico internacional de cocaína em avião da FAB

A droga seria transportada para a França, com escala nas Ilhas Canárias. A especialização da quadrilha era levar os produtos ilícitos à Europa, com aviões da FAB

Modelo da aeronave C-130 Hércules, da Aeronáutica (Divulgação)
Reportagem de Luiz Vassalo no jornal O Estado de S.Paulo desta sexta-feira (12) informa que o Tribunal Superior Militar (TSM) cassou o cargo e a patente de um major da aeronáutica pela prática de tráfico de drogas internacionais e associação criminosa, utilizando-se de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). O militar já havia sido condenado a prisão de 16 anos e 266 dias de multa. Além do oficial da reserva, outros dois de seus colegas, comparsas da atividade criminosa, já tinham perdido seus postos e patentes. O transporte de 33 quilos de cocaína no interior de uma aeronave Hércules C-130 da...

Reportagem de Luiz Vassalo no jornal O Estado de S.Paulo desta sexta-feira (12) informa que o Tribunal Superior Militar (TSM) cassou o cargo e a patente de um major da aeronáutica pela prática de tráfico de drogas internacionais e associação criminosa, utilizando-se de aviões da Força Aérea Brasileira (FAB). O militar já havia sido condenado a prisão de 16 anos e 266 dias de multa.

Além do oficial da reserva, outros dois de seus colegas, comparsas da atividade criminosa, já tinham perdido seus postos e patentes.

O transporte de 33 quilos de cocaína no interior de uma aeronave Hércules C-130 da Aeronáutica, na cidade de Recife (PE), foi descoberto no final dos anos 1990, pela operação “Mar Aberto”, da Polícia Federal (PF).

A droga seria transportada para a França, com escala nas Ilhas Canárias. A especialização da quadrilha era levar os produtos ilícitos à Europa, com aviões da FAB.

A condenação do militar em primeira instância se deu no ano 2000, mas o caso teve o trânsito em julgado (quando não cabem mais recursos) em 2018.

Veja também:  Haddad diz que não tem pretensão de ser candidato a prefeito de São Paulo novamente

A partir da pena (de reclusão superior a dois anos), o Ministério Público Militar impetrou a ação junto à Corte Militar, pedindo a cassação do cargo e da patente, como estabelece a Constituição Federal.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum