Imprensa livre e independente
05 de abril de 2019, 11h52

Minc alerta “judeus encantados com Bolsonaro”: “Eletrocutado nos genitais, ouvi: toma esta por judeu fdp”

Minc disse que decidiu se expor "face à amnésia coletiva", em referência à tentativa de Jair Bolsonaro (PSL) de fazer um revisionismo histórico do golpe de 64, que resultou em 21 anos de ditadura militar no Brasil

Carlos Minc (Foto: Divulgação)
O deputado estadual e ex-ministro do meio ambiente, Carlos Minc (PSB/RJ), fez um alerta nesta sexta-feira (5) pelo Twitter aos “judeus encantados com Bolsonaro”. Torturado durante a ditadura militar, Minc, que é de família judaíca, expôs pela primeira vez detalhes do tratamento que teve nos porões do regime. “Alerta para judeus encantados com Bolsonaro: em 1969, no pau de arara na Polícia de Exercito, eletrocutado nos gentais, ouvi: toma esta por comuna, esta por judeu f.d.p. Sou circuncidado. Ouvi o mesmo para Chael Shreider, lá assassinado. Herzog? Preconceito+ tortura: tudo a ver!!”, tuitou Minc. Alerta para judeus encantados com Bolsonaro:...

O deputado estadual e ex-ministro do meio ambiente, Carlos Minc (PSB/RJ), fez um alerta nesta sexta-feira (5) pelo Twitter aos “judeus encantados com Bolsonaro”. Torturado durante a ditadura militar, Minc, que é de família judaíca, expôs pela primeira vez detalhes do tratamento que teve nos porões do regime.

“Alerta para judeus encantados com Bolsonaro: em 1969, no pau de arara na Polícia de Exercito, eletrocutado nos gentais, ouvi: toma esta por comuna, esta por judeu f.d.p. Sou circuncidado. Ouvi o mesmo para Chael Shreider, lá assassinado. Herzog? Preconceito+ tortura: tudo a ver!!”, tuitou Minc.

Minc disse que decidiu se expor “face à amnésia coletiva”, em referência à tentativa de Jair Bolsonaro (PSL) de fazer um revisionismo histórico do golpe de 64, que resultou em 21 anos de ditadura militar no Brasil.

Veja também:  Jean Wyllys denuncia presença de fascistas na Polícia Federal e sofre ameaças de bolsonaristas

Em telegrama à Organização das Nações Unidas (ONU), divulgado nesta quinta-feira (4), o governo Bolsonaro afirma que “não houve golpe de Estado” em 31 de março de 1964 e que os 21 anos de governos militares foram necessários “para afastar a crescente ameaça de uma tomada comunista do Brasil e garantir a preservação das instituições nacionais, no contexto da Guerra Fria”.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum