Imprensa livre e independente
10 de junho de 2019, 15h37

Moro caiu na própria armadilha quando defendeu vazamento de telefonema entre Lula e Dilma no Programa do Bial

Apesar de, naquele momento, jamais suspeitar disso, Moro deu a tese para que o atual vazamento possa ser usado tanto para incriminá-lo quanto para anular processos da Operação Lava Jato. Ouça aqui

Foto: Divulgação
O ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, durante entrevista para o Programa do Bial, exibida no dia 9 de abril, corroborou com uma tese que se voltaria contra ele mesmo. Apesar de, naquele momento, jamais suspeitar disso, o ministro do presidente Jair Bolsonaro (PSL), deu a senha para que o atual vazamento das conversas entre ele e o procurador Deltan Dallagnol possa ser usado tanto para incriminá-lo quanto para anular processos da Operação Lava Jato. Moro justificou para o apresentador Pedro Bial o fato de ter vazado, em março de 2016, de maneira ilegal, uma conversa telefônica entre...

O ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, durante entrevista para o Programa do Bial, exibida no dia 9 de abril, corroborou com uma tese que se voltaria contra ele mesmo.

Apesar de, naquele momento, jamais suspeitar disso, o ministro do presidente Jair Bolsonaro (PSL), deu a senha para que o atual vazamento das conversas entre ele e o procurador Deltan Dallagnol possa ser usado tanto para incriminá-lo quanto para anular processos da Operação Lava Jato.

Moro justificou para o apresentador Pedro Bial o fato de ter vazado, em março de 2016, de maneira ilegal, uma conversa telefônica entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a então presidenta Dilma Rousseff:

“O problema não era a captação do diálogo e a divulgação do diálogo, mas era o diálogo em si, uma ação visando burlar a justiça”, disse.

Ouça o áudio abaixo:

Veja também:  Em audiência com Greenwald, Contarato cobra coragem de senadores para instauração de CPI da Vaza Jato

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum