Imprensa livre e independente
05 de abril de 2018, 18h14

Moro determina que Lula se apresente amanhã à PF para ser preso

O TRF4 não esperou que a defesa protocolasse seu último recurso no tribunal e, um dia após a decisão do STF, encaminhou ofício a Moro autorizando a prisão. Juiz de Curitiba, por sua vez, deu a "oportunidade" de Lula se apresentar à PF voluntariamente amanhã até às 17h

Foto: Ricardo Stuckert
O juiz Sérgio Moro publicou despacho, na tarde desta quinta-feira (5), em que estabelece um prazo até amanhã (sexta-feira, 6) às 17h para que o ex-presidente Lula se apresente à Polícia Federal (PF) para ser preso. O despacho de Moro vem logo após o ofício encaminhado hoje pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) autorizando a prisão. Os advogados de Lula planejavam protocolar um último recurso no tribunal, o chamado “embargo do embargo”, e teria até o dia 10 para isso. Mas o tribunal não aguardou e já solicitou a prisão do petista, apenas um dia depois de o...

O juiz Sérgio Moro publicou despacho, na tarde desta quinta-feira (5), em que estabelece um prazo até amanhã (sexta-feira, 6) às 17h para que o ex-presidente Lula se apresente à Polícia Federal (PF) para ser preso. O despacho de Moro vem logo após o ofício encaminhado hoje pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) autorizando a prisão.

Os advogados de Lula planejavam protocolar um último recurso no tribunal, o chamado “embargo do embargo”, e teria até o dia 10 para isso. Mas o tribunal não aguardou e já solicitou a prisão do petista, apenas um dia depois de o Supremo Tribunal Federal (STF) ter lhe negado habeas corpus preventivo.

No despacho, Moro ressalta que “em atenção à dignidade cargo que ocupou”, dá a Lula “oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão”.

O ex-presidente foi condenado em segunda instância pelo TRF4, em janeiro, a 12 anos e um mês de prisão pelo caso do chamado triplex do Guarujá. A defesa tentou um habeas corpus preventivo no STF por considerar inconstitucional a aplicação da pena antes do término do trânsito em julgado – o que ainda não ocorreu com Lula. Hoje, advogados do ex-presidente recorreram novamente ao Supremo com uma liminar para impedir a prisão após condenação em segundo grau até a votação das Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ACDs) que podem mudar o entendimento da Corte sobre esse tipo de prisão.

Veja também:  Com Moro, Dallagnol festeja por não ter sofrido punição de Conselhos do MP e da Justiça por palestras

A defesa de Lula ainda não se manifestou sobre a determinação de Moro.

Confira a íntegra do despacho aqui.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum