Imprensa livre e independente
29 de agosto de 2017, 20h54

Moro nega pedido da defesa de Lula para ouvir advogado que acusa seu amigo

A defesa de Lula havia solicitado que o advogado Rodrigo Tacla Duran fosse ouvido como testemunha da defesa por revelar que um amigo de Moro, o também advogado Carlos Zucolotto Junior, teria tentado interferir junto à força-tarefa da operação Lava Jato para obter delações premiadas para Moro. Juiz de Curitiba negou Por Redação  O juiz Sérgio Moro negou, nesta terça-feira (29), um pedido da defesa do ex-presidente Lula para o advogado Rodrigo Tacla Duran fosse ouvido entre as testemunhas de defesa no processo em que o petista responde relacionado a um suposto esquema de propina da Odebrecht envolvendo um apartamento e um...

A defesa de Lula havia solicitado que o advogado Rodrigo Tacla Duran fosse ouvido como testemunha da defesa por revelar que um amigo de Moro, o também advogado Carlos Zucolotto Junior, teria tentado interferir junto à força-tarefa da operação Lava Jato para obter delações premiadas para Moro. Juiz de Curitiba negou

Por Redação 

O juiz Sérgio Moro negou, nesta terça-feira (29), um pedido da defesa do ex-presidente Lula para o advogado Rodrigo Tacla Duran fosse ouvido entre as testemunhas de defesa no processo em que o petista responde relacionado a um suposto esquema de propina da Odebrecht envolvendo um apartamento e um terreno em São Bernardo do Campo. Duran era advogado da empreiteira.

“A palavra de pessoa envolvida, em cognição sumária, em graves crimes e desacompanhada de provas de corroboração não é digna de crédito, como tem reiteradamente decidido este Juízo e as demais cortes de Justiça, ainda que possa receber momentâneo crédito por matérias jornalísticas descuidadas”, criticou Moro no despacho em que negou o pedido da defesa de Lula.

Veja também:  Flávio Dino diz que como “narrativa jurídica” depoimento de Moro “foi péssimo”

No pedido, os advogados citaram reportagens da colunista Mônica Bergamo que informam que Duran está escrevendo um livro em que acusa o advogado Carlos Zucolotto Junior, amigo e padrinho de casamento de Moro, de tentar interferir na Lava Jato para conseguir acordos de delação premiada. Em troca, Zucolotto receberia dinheiro via caixa dois para distribuir a pessoas que colaborariam com o processo.

O juiz de Curitiba destacou que, apesar de negar o pedido, não tem nenhuma objeção à investigação das acusações do advogado Rodrigo Taclan Duran envolvendo seu nome. “Mas não cabe fazê-lo nestes autos por motivos meramente protelatórios e duvidosos”.

 

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum