Imprensa livre e independente
19 de junho de 2019, 19h46

“Moro teve o gostinho de provar o próprio veneno. Não tem moral para reclamar de vazamento”, diz Boulos

“Hoje, ele estava igual a um ratinho, acuado, lá no Senado Federal. Ontem, estava no Ratinho. Eram o Ratinho e o ratão”, declarou o líder do MTST, após visita a Lula

Foto: Eduardo Matysiak
Em visita ao ex-presidente Lula, nesta quarta-feira (19), em Curitiba, Guilherme Boulos, ex-candidato à presidência pelo PSOL e um dos líderes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), não poupou o ex-juiz Sérgio Moro de críticas. “Moro teve o gostinho de provar o próprio veneno. Não tem moral nenhuma para reclamar de vazamento ou privacidade. Ao contrário. Vazou conversas pessoais, conversas que ele nem poderia ter acesso, porque envolvia a presidenta da República na época, e ajudou a arquitetar um golpe nesse país, ajudou a alterar o resultado das eleições”, declarou Boulos. Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o...

Em visita ao ex-presidente Lula, nesta quarta-feira (19), em Curitiba, Guilherme Boulos, ex-candidato à presidência pelo PSOL e um dos líderes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), não poupou o ex-juiz Sérgio Moro de críticas.

“Moro teve o gostinho de provar o próprio veneno. Não tem moral nenhuma para reclamar de vazamento ou privacidade. Ao contrário. Vazou conversas pessoais, conversas que ele nem poderia ter acesso, porque envolvia a presidenta da República na época, e ajudou a arquitetar um golpe nesse país, ajudou a alterar o resultado das eleições”, declarou Boulos.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

“Agora, a casa está caindo. Hoje, ele estava igual a um ratinho, acuado, lá no Senado Federal. Ontem, estava no Ratinho. Eram o Ratinho e o ratão. É bom quando a história diz que a gente está do lado certo”, prosseguiu.

Aniversariante do dia, Boulos destacou que não poderia ter presente melhor do que passar o dia na Vigília Lula Livre. Em relação à visita, disse: “É a segunda vez, desde a prisão política, arbitrária, ilegítima do presidente Lula, que eu tenho a oportunidade de visitá-lo e hoje ele estava ainda mais forte do que da vez anterior”.

Veja também:  Anielle Franco, irmã de Marielle, deve ser candidata pelo PSOL

“Ele está resistindo com a consciência da trama, da jogada criminosa, baixa, que foi feita pela Operação Lava Jato para colocá-lo enclausurado. Sempre é bom quando a gente denuncia uma coisa muito tempo e vê isso ser provado. Muita gente não acreditava, dizia que era teoria da conspiração. Agora, essas mesmas pessoas não abrem o bico”, completou.

Gleisi

Junto com Boulos, a deputada federal Gleisi Hoffmann, presidenta nacional do PT, também visitou Lula. “O presidente está muito bem, dormindo o sono dos justos, daqueles que são inocentes, que têm a consciência tranquila. E nós, cada vez com mais certeza do conluio que foi montado para incriminá-lo, condená-lo e prendê-lo”.

Gleisi afirmou que o ex-presidente está preocupado com a situação do país. “Ele disse que temos que nos preocupar com o que o povo está passando, sem comida na mesa, desempregado. O governo está fazendo muita besteira, mas não se pode subestimá-lo. É um governo que tem sua base, sua força e tende a endurecer o processo, principalmente agora que está acuado pelo questionamento da Lava Jato e do Moro”. Acrescentou.

Veja também:  Após emendas, Bolsonaro loteia cargos para aprovar Previdência

E lembrou: “Dia 25 temos um julgamento importante (no STF sobre suspeição de Sérgio Moro). Não pode ter outra solução que não a liberdade do Lula, por tudo o que está acontecendo e que foi evidenciado. Lula tem que ser libertado e esse processo, anulado. É isso que temos que dizer aos quatro ventos”, finalizou.

Assistam ao vídeo:

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum