Imprensa livre e independente
25 de maio de 2014, 17h43

Morre aspirante que se intoxicou em treinamento da Marinha

Jovem foi obrigado a atravessar por duas vezes, sem máscara, um túnel de 3 metros preenchido com fumaça

Jovem foi obrigado a atravessar por duas vezes, sem máscara, um túnel de 3 metros preenchido com fumaça Por Redação Morreu, no último sábado (24), o aspirante da Marinha Jean Caleb Maroto Sousa, de 22 anos. O jovem estava internado desde o último dia 8, após se intoxicar com fumaça em um treinamento. Sousa teria sido obrigado, por seu superior, a atravessar duas vezes, sem máscara, um túnel de três metros preenchido com fumaça. A outro aspirante, Vinicius da Cunha Silva,  também foi imposto que realizasse a atividade. Os dois foram encaminhados ao hospital com intoxicação. Sousa, com dificuldade de...

Jovem foi obrigado a atravessar por duas vezes, sem máscara, um túnel de 3 metros preenchido com fumaça

Por Redação

Morreu, no último sábado (24), o aspirante da Marinha Jean Caleb Maroto Sousa, de 22 anos. O jovem estava internado desde o último dia 8, após se intoxicar com fumaça em um treinamento.

Sousa teria sido obrigado, por seu superior, a atravessar duas vezes, sem máscara, um túnel de três metros preenchido com fumaça. A outro aspirante, Vinicius da Cunha Silva,  também foi imposto que realizasse a atividade. Os dois foram encaminhados ao hospital com intoxicação.

Sousa, com dificuldade de encontrar a saída, ficou muito tempo exposto à fumaça. O superior de Sousa, que comandou o exercício, o teria forçado a fazer o treinamento novamente pois o aspirante não conseguiu sair sozinho na primeira tentativa.

Para a Marinha, “o exercício em questão é regular e faz parte da prática profissional naval, prevista no programa de ensino da Escola Naval, tendo sido cumprido pelos demais 32 aspirantes a fuzileiros navais sem incidentes.”

Veja também:  Em nova derrota do governo, Senado derruba promessa de campanha de Bolsonaro sobre decreto das armas

O fato será motivo de um inquérito policial-militar, informou a Marinha.

 

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum