Imprensa livre e independente
14 de abril de 2019, 14h33

Mourão “curte” postagem crítica a Bolsonaro; Feliciano vai pedir impeachment do vice

Vice-líder do governo na Câmara, Marco Feliciano (Podemos-SP) ficou irritado ao constatar que Mourão "curtiu" uma postagem crítica a Jair Bolsonaro no Twitter e acusa o vice-presidente de traição; ele protocolará pedido de impeachment do general na próxima terça-feira

Reprodução
Conforme adiantado pela Fórum na última segunda-feira (8), o deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP), vice-líder do governo na Câmara, vai pedir o impeachment do vice-presidente Hamilton Mourão. A informação foi confirmada pelo próprio Feliciano na sexta-feira (12) ao compartilhar um texto da coluna de Lauro Jardim sobre o pedido que, segundo o jornalista, será protoclado na terça-feira (16). O pastor evangélico tem acusado Mourão de traição e afirmado que o general conspira para derrubar Bolsonaro. Entre os motivos que irritam o setor evangélico do governo, que tem em Feliciano um de seus líderes, estariam as declarações do vice-presidente que não...

Conforme adiantado pela Fórum na última segunda-feira (8), o deputado federal Marco Feliciano (Podemos-SP), vice-líder do governo na Câmara, vai pedir o impeachment do vice-presidente Hamilton Mourão. A informação foi confirmada pelo próprio Feliciano na sexta-feira (12) ao compartilhar um texto da coluna de Lauro Jardim sobre o pedido que, segundo o jornalista, será protoclado na terça-feira (16).

O pastor evangélico tem acusado Mourão de traição e afirmado que o general conspira para derrubar Bolsonaro. Entre os motivos que irritam o setor evangélico do governo, que tem em Feliciano um de seus líderes, estariam as declarações do vice-presidente que não estariam de acordo com o posicionameno de Jair Bolsonaro em pautas, entre outras, como como o aborto. O deputado federal, ao longo da semana, ainda acusou o Mourão de “comportamento indigno” por, supostamente, desrespeitar a hirearquia ao querer “escolher ministério”.

“Atuo como vice-líder do Governo no congresso nacional e já avisei por aqui o general Mourão. Ou começa a ter uma postura digna e LEAL ao presidente Jair Bolsonaro, ou eu mesmo vou protocolar um pedido de impeachment, por comportamento indecoroso”, tuitou Feliciano no na segunda-feira (8).

Veja também:  Bolsonaro sinaliza vice evangélico em 2022: "Pode ser. Não quero queimar o Mourão agora"

Já na sexta-feira (12), o parlamentar partiu mais uma vez para o ataque e questinou a presença de Mourão em um evento nos Estados Unidos que o pintava, no convite, como a pessoa adequada para tratar das “sucessivas crises” criadas pelo governo Bolsonaro. Ele ainda destacou o fato de o general reformardo ter “curtido”, no Twitter, uma postagem da jornalista Rachel Sheherazade crítica ao presidente.

“Palestra de Mourão em Harvard. Finalmente um representante do governo não nos causa vergonha alheia. Muito pelo contrário: o vice mostrou como ele e o presidente são diferentes: um é o vinho, o outro o vinagre”, diz a postagem de Sheherazade curtida por Mourão.

“Vejam, não bastasse Mourão chancelar com sua presença todas as barbaridades que estavam escritas no convite de sua palestra no Wilson Center (inclusive que era melhor alternativa q o presidente Jair Bolsonaro), agora curte tuíte da jornalista que critica o presidente”, disparou Feliciano.

Rachel Sheherazade, por sua vez, rebateu, também via Twitter. “Surpreende-me um Pastor Evangélico, que deveria ser, antes de tudo, um pacificador, incitar a militância bolsonarista truculenta contra o vice-presidente Mourão. Lamentável sua postura, Marco Feliciano. Que Deus o perdoe!”, escreveu.

Veja também:  Disfarçada de "liberdade Econômica", MP altera leis trabalhistas e inclui domingo como dia útil

Mourão, até a publicação desta matéria, não havia comentado as declarações de Feliciano.

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum