Imprensa livre e independente
17 de setembro de 2018, 19h55

Mourão diz que Brasil errou ao se aliar à “mulambada” na África e América Latina

Em palestra para empresários, General Mourão, vice de Bolsonaro, falou que ambiente apenas com “mãe e avó” é “fábrica de desajustados”

Foto: Beto Barata/Fotos Públicas O general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente da República na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), parece que está se esforçando para divulgar declarações no mínimo infelizes. Durante uma palestra dirigida a empresários, nesta segunda-feira (17, em São Paulo, o militar chamou de “mulambada”, pessoas originárias de países emergentes aliados do Brasil. As informações são de Jussara Soares, de O Globo. “Partimos também para aquela diplomacia que foi chamada de Sul-Sul, e aí nos ligamos com toda a mulambada, me perdoem o termo, existente do outro lado do oceano, do lado de cá, que não resultou em...

Foto: Beto Barata/Fotos Públicas

O general Hamilton Mourão, candidato a vice-presidente da República na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), parece que está se esforçando para divulgar declarações no mínimo infelizes. Durante uma palestra dirigida a empresários, nesta segunda-feira (17, em São Paulo, o militar chamou de “mulambada”, pessoas originárias de países emergentes aliados do Brasil. As informações são de Jussara Soares, de O Globo.

“Partimos também para aquela diplomacia que foi chamada de Sul-Sul, e aí nos ligamos com toda a mulambada, me perdoem o termo, existente do outro lado do oceano, do lado de cá, que não resultou em nada, só em dívidas que foram contraídas e estamos levando calote disso aí. Entregamos nossos recursos para esse pessoal”, afirmou o general.

Após a palestra, em entre vista, Mourão chegou a dizer que o termo “mulambada” foi usado por ele só para agradar a plateia. “Foi apenas para o auditório ficar mais satisfeito. Não eram os países que trariam, digamos assim, o retorno do investimento que fizemos. Só isso”, minimizou.

Veja também:  Não vai ter troca-troca: Filho de Trump não será embaixador no Brasil

Mãe e avó

Ainda durante a palestra, ele afirmou que o narcotráfico se instala em áreas “sem pai nem avô”. De acordo com Mourão, esse ambiente apenas com “mãe e avó” seria uma “fábrica de elementos desajustados”.

“A partir do momento em que a família é dissociada, surgem os problemas sociais que estamos vivendo. E atacam eminentemente nas áreas carentes, onde não há pai nem avô. É mãe e avó. E por isso, torna-se realmente uma fábrica de elementos desajustados e que tendem a ingressar nessas narcoquadrilhas que hoje afetam todo nosso país e em particular as nossas grandes cidades”, afirmou.

O general voltou a defender uma nova Constituição e negou que seja “antidemocrático”. “Se eu fosse antidemocrático eu não estava participando da eleição, eu estava lá com a minha 45, limpando ela bonitinho e aguardando melhores dias. Não é isso o que estou fazendo, obviamente. Nenhum de nós tem dúvida de que a nossa Constituição é terrível. Ela abarca do alfinete ao foguete. A minha visão é clara. A Constituição tem que ser de princípios e valores, ou seja, o norte, a bússola do país para o resto da sua existência”, acrescentou.

Veja também:  Veja fotos da mansão de Paulo Preto, operador do PSDB

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum