Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
22 de janeiro de 2020, 16h57

Após violência policial, Movimento Passe Livre se prepara para mais um ato em SP

A última manifestação do MPL, fortemente reprimida, teve até denúncia de estupro por parte de policial militar

Terceiro ato contra aumento das tarifas de transporte em São Paulo (Foto: Centro de Mídia Independente - São Paulo)

O Movimento Passe Livre marcou para esta quinta-feira (23) a próxima manifestação contra o aumento das passagens em São Paulo. Nas últimas semanas, o grupo tem organizado atos e panfletagens e tem sido alvo de uma dura repressão por parte Polícia Militar.

“Vamos para quarta manifestação contra o aumento! João Doria e Bruno Covas não vão nos parar. Organize-se. Catraque, não pague!”, diz o MPL em convocatória para o ato que acontece na quinta às 18h.

Em texto publicado em sua página do Facebook nesta quarta, o movimento condena a atuação da PM, do governador e do prefeito. “Eles [os PMs] recebem ordens dos de cima pra: causar terror psicológico, deixando as pessoas com medo de se somarem à manifestação; não deixar o ato andar pelas ruas; defender as catracas, nem que pra isso seja preciso muito dinheiro e violência com os/as de baixo; colocar a culpa nos manifestantes, chamando-os de vândalos e baderneiros, numa tentativa de jogar a população contra os atos e desmobilizar….”, diz.

“Não podemos deixar os de cima nos enganar e dividir. Devemos nos manter firmes e continuar na luta por um transporte gratuito, de qualidade e controlado pelo povo. Não vamos pagar cada vez mais, pra circular cada vez menos. Organize-se”, completa o MPL.

Com o objetivo de convocar para a manifestação, os integrantes do grupo fizeram na terça-feira (21) um “catracaço”. “Hoje teve jogral de chamamento pra quarta manifestação e catracaço no metrô de sp. Muita gente voltou pra casa sem pagar tarifa! Não vamos pagar cada vez mais, pra circular cada vez meno Catraque, não pague!”, tuitou o MPL ao compartilhar vídeo mostrando a ação.

No terceiro ato contra o aumento da tarifa dos transportes públicos em São Paulo, que aconteceu na última quinta-feira (16), diversos manifestantes foram agredidos e detidos. De acordo com relatos, a PM não queria nem deixar a manifestação sair e, ao falharem em impedir, atacou e prendeu manifestantes aleatórios, que foram mantidos na frente da Secretaria Estadual de Educação até que chegassem as viaturas. Os policiais não explicaram o motivo das detenções.

Uma garota, menor de idade, alegou, em Boletim de Ocorrência, que foi abusada sexualmente por um policial militar. Além disso, vídeos mostram a ativista Andreza Delgado, organizadora da PerifaCon, sendo arrastada pelos cabelos.

::: NÃO VÃO NOS PROIBIR DE LUTAR POR UM TRANSPORTE VERDADEIRAMENTE PÚBLICO!O Governador João Doria e o Prefeito Bruno…

Posted by Passe Livre São Paulo on Wednesday, January 22, 2020


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum