Atos antifascistas acontecem em diversas capitais do país, veja como foi

Ao menos sete capitais brasileiras registraram mobilizações de torcidas organizadas e movimentos sociais antifascistas

A grande mobilização de torcidas organizadas e movimentos sociais antifascistas realizadas em São Paulo e no Rio de Janeiro na manhã deste domingo (31) refletiu em outras capitais brasileiras. Porto Alegre, Curitiba, Belo Horizonte, Salvador e Vitória foram alguns do locais que grupos se manifestaram contra o presidente Jair Bolsonaro e em defesa da democracia.

Além das mobilizações deste domingo, movimentos já programaram novas manifestações durante a próxima semana e no final de semana em diversos estados do Brasil.

Confira abaixo como foi a situação em cada capital neste domingo (31):

São Paulo
Aos gritos de “democracia” e “ô, ô, ô, ditadura acabou”, manifestantes antifascistas de diversas torcidas organizadas fecharam a avenida Paulista, em São Paulo em uma manifestação contra os atos golpistas que vêm sendo realizados por apoiadores de Jair Bolsonaro. O protesto acusou bolsonaristas, mas, após forte repressão da Polícia Militar, os defensores do presidente puderam prosseguir. Eles desfilaram na Paulista com bandeiras com referências neonazistas e fascistas.

Rio de Janeiro
No Rio de Janeiro, torcedores do Flamengo e do Fluminense foram até a praia de Copacabana impedir o prosseguimento de uma marcha bolsonarista. Assim como em SP, a PM deu tratamento diferenciado aos manifestantes e fez um cordão de isolamento para proteger os bolsonaristas que levantam bandeiras como o fechamento do STF.

A capital carioca ainda registrou um ato em defesa da vida da população negra em razão das mortes que tem acontecido em decorrência da violência policial em favelas do estado. O menino João Pedro, de 14 anos, foi uma dessas vítimas. O ato “Vidas Negras Importam” ocorreu em frente ao Palácio Guanabara.

Porto Alegre
Uma semana depois de bloquear carreta antifascista, torcedores voltaram a se reunir em Porto Alegre em defesa da democracia. A página Antifascistas do Grêmio compartilhou fotos da manifestação que circulou pela capital gaúcha. “Vitória Antifascista nas ruas de Porto Alegre!”, publicaram. Um vídeo também ganhou repercussão nas redes, veja:

Curitiba
Por volta das 14h, torcedores organizados e membros do PCO fizeram um bloqueio no Centro Cívico de Curitiba e interromperam uma carreata pró-Bolsonaro que rodava pela capital paranaense. Segundo o Diário da Causa Operária, organizadas antifascistas de Athlético, Coritiba e Paraná Clube estiveram presentes. Veja vídeo:

https://www.facebook.com/antifa.hooligansBR/posts/688750171965773?cft[0]=AZV0VMgDXcM40EvhXoeoITi07IlkdlRVHvRaD_e40c49SL5M362VTuUOz8CwZgAG235EDJp35DA8RtCVLKv5CkdZUOV1rQfuF4pMX6pFPau1kDXEXgnM03-3D3zjp1WMGL8-lYeV6ijp2_Wwbhjy2MO98j8gULTw-Y6zTYOOKUR86S2iVIR2oZ68O3yf5EfagpM&tn=%2CO%2CP-R

Belo Horizonte
Em Belo Horizonte, torcidas organizadas do Atlético Mineiro também conseguiram parar uma carreata organizada por bolsonarisatas. Entre os gritos ecoados pela Galo Antifa esteve o canto “doutor, eu não me engano, o Bolsonaro é miliciano”. Assista:

Vitória
A capital capixaba também teve protestos, que se concentraram na Praça do Papa, em frente à Assembleia Legislativa do Espírito Santo. O protesto se contrapôs a uma manifestação bolsonarista que acontecia no mesmo local. Veja os registros do Mídia Ninja:

https://www.instagram.com/p/CA3UuWijlXE/
https://www.instagram.com/p/CA3P6NnDCqc/

Salvador
Um grupo de torcedores antifascistas do Vitória também se reuniu no centro de Salvador contra o presidente Jair Bolsonaro, conforme divulgado pela página Torcidas Antifas Br. Veja:

https://www.instagram.com/p/CA3S4bfA8Yn/
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR