Atos contra Bolsonaro e em memória dos 50 mil mortos pelo coronavírus acontecem em diversas capitais; veja como foi

Ao menos treze capitais registraram protestos realizados por torcidas organizadas, profissionais de saúde, movimentos sociais e partidos políticos

Enquanto manifestantes antifascistas e antirracistas mobilizaram caravanas com destino à Esplanada dos Ministérios, em Brasília na manhã deste domingo (21), outras capitais brasileiras também amanheceram com protestos contra o presidente Jair Bolsonaro e em memória das vítimas do novo coronavírus, que já ultrapassam a triste marca de 50 mil.

Brasília (DF), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG), Maceió (AL), Aracaju (SE), Goiânia (GO), Recife (PE), Fortaleza (CE), João Pessoa (PB), Salvador (BA), São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ) e Vitória (ES) registraram mobilizações nesse domingo.

Confira abaixo como foi a situação em cada capital neste domingo (21):

Brasília

Em Brasília, manifestantes de diversos estados se reuniram na manhã deste domingo para protestar em favor do impeachment do presidente Jair Bolsonaro, contra o racismo e em favor da democracia. Torcidas organizadas, movimentos sociais e partidos participaram da grande mobilização que aconteceu na Esplanada dos Ministérios.

Apoiadores de Bolsonaro também de manifestaram, em número reduzido. Novamente, eles carregavam faixas pedindo intervenção militar.

Belo Horizonte

Belo Horizonte foi uma das cidades que registrou grande mobilização neste domingo (21). Torcidas organizadas, movimentos sociais e partidos convocaram um ato na Praça da Bandeira. Uma carreata contra o presidente também foi realizada.

Apoiadores de Bolsonaro também organizaram ato.

https://www.instagram.com/p/CBtB7t-pIcF/
https://twitter.com/planetamgbr/status/1274813676713848840/photo/1

Porto Alegre

A capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, registrou atos contra o presidente e contra o racismo neste domingo. A mobilização se concentrou na Esquina Democrática e reuniu torcidas organizadas, movimentos sociais e partidos. Na cidade também houve atos pró-Bolsonaro.

Rio de Janeiro

No Rio de Janeiro, um grupo de manifestantes do PCO enfrentaram a Polícia Militar, que não queria permitir a realização de ato na Cinelândia. Segundo o Diário da Causa Operária, um manifestante, Henrique Simonard, foi preso.

https://www.instagram.com/p/CBtNANMHGml/

Médicas e Médicos pela Democracia

Profissionais de saúde promoveram uma série de ações contra a negligência de Bolsonaro diante da pandemia do novo coronavírus em Maceió, Aracaju, Goiânia, Brasília, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, João Pessoa e Salvador. O movimento Médicas e Médicos pela Democracia espalhou faixas e cruzes nas capitais e em cidades do interior, como Petrolina (PE), Caruaru (PE), Canidé (CE), Juazeiro do Norte (CE) e Patos (PB). Um dos lemas das mobilizações foi “o SUS salva vidas, Bolsonaro não”.

São Paulo

Uma das capitais que organizou caravanas de torcidas organizadas para o ato de Brasília, São Paulo, também registrou protestos. Manifestantes ligados ao PCO se reuniram pedindo Fora Bolsonaro na Praça Roosevelt.

Familiares e amigos do jovem Guilherme Silva Guedes, de 15 anos, assassinado por policiais militares no último domingo. Mensagens contra o racismo e contra a violência policial marcaram a ação.

https://www.instagram.com/p/CBtQxsqH_YU/
https://www.instagram.com/p/CBtZHDKHqpp/

Vitória

Em Vitória também houve mobilização em memórias às vítimas do coronavírus. A ação, organizada pela Plenária Contra o Covid no ES, espalhou cruzes na praia de Camburi e foi alvo de vandalismo por parte de uma apoiadora do presidente Bolsonaro, que arrancou faixas e saiu andando.

https://www.instagram.com/p/CBs42thDtYS/
Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina

Você pode estar junto nesta luta

Fórum é um dos meios de comunicação mais importantes da história da mídia alternativa brasileira e latino-americana. Fazemos jornalismo há 20 anos com compromisso social. Nascemos no Fórum Social Mundial de 2001. Somos parte da resistência contra o neoliberalismo. Você pode fazer parte desta história apoiando nosso jornalismo.

APOIAR