Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
23 de Maio de 2018, 09h00

Autora de proposta que prevê criminalizar MST e MTST faz campanha para Bolsonaro

 Ideia legislativa alcançou mais de 20 mil apoios e, agora, foi colocada em consulta pública pelo Senado

Está em votação no portal e-Cidadania do Senado uma consulta pública sobre a Ideia Legislativa Nº 89.755, que prevê a criminalização de dois dos mais importantes movimentos sociais do país, o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra e o Movimento dos Trabalhadores Sem Teto.

Autora da proposta que quer criminalizar movimentos sociais também defende intervenção militar

A proposta foi sugerida por Angelica Guirele Avelar, psicóloga e analista do Tribunal de Justiça do Tocantins. No Facebook, sua foto de perfil já pede voto para Bolsonaro presidente. Entre suas postagens, ela pede intervenção militar no Brasil e compartilha publicações do pré-candidato. Angelica foi candidata a vice-prefeita de Palmas, em 2008, pelo Partido da Mobilização Nacional (PMN) e teve 693 votos.

De acordo com a Resolução 19, de 2005, que regulamentou o e-Cidadania, toda Ideia Legislativa que alcança 20 mil apoios em quatro meses se tornará uma Sugestão Legislativa e será debatida pelos Senadores. O senador Paulo Paim (PT-RS) foi designado para relatar a proposta.

A ideia de Angelica virou a Sugestão Nº 2 de 2018, com a seguinte descrição: “Criminalizar, como terrorismo, as invasões e atuações impeditivas dos movimentos sociais, MST e mtst, por invadir propriedade privada e obstruir o direito de ir e vir dos cidadãos de bem”. (sic)

Em consulta pública no portal e, até o fechamento desta matéria, tinha mais de 40 mil votos a favor e 37 mil contrários. Circula nas redes sociais publicações sobre a votação, onde a proposta é vista como mais um exemplo do Estado de exceção no Brasil.

 

 


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum