Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
28 de fevereiro de 2019, 16h19

Boulos anuncia “primeira grande mobilização” contra a reforma da Previdência

"O Temer tentou aprovar uma reforma como essa em 2017 e nós barramos nas ruas com muita luta. É o que vamos fazer de novo agora", disse o líder do MTST e da Frente Povo Sem Medo; mobilização nacional será no dia 22 de março

Foto: Mídia Ninja

Guilherme Boulos, coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo, anunciou nesta quinta-feira (28) a “primeira grande mobilização” contra a reforma da Previdência.

Crítico ao projeto apresentado por Jair Bolsonaro ao Congresso, Boulos pretende reunir trabalhadores para, assim como aconteceu em 2017 com a reforma de Michel Temer, barrar a votação do projeto no Congresso.

“O Temer tentou aprovar uma reforma como essa em 2017 e nós barramos nas ruas com muita luta. É o que vamos fazer de novo agora”, disse Boulos em um vídeo divulgado em suas redes sociais.

Para o coordenador do MTST, a reforma da Previdência proposta pelo governo “é ataque brutal aos nossos direitos” e “uma covardia contra os mais pobres”. “Ela [a reforma] mexe no andar de baixo e mantém os privilégios para favorecer  principalmente os banqueiros”, disse Boulos, tecendo críticas a pontos específicos do projeto como a redução da aposentadoria para quem recebe Benefício de Prestação Continuada, por exemplo.

A mobilização nacional contra a reforma será no dia 28 de março. Na capital paulista, onde é esperada uma das maiores manifestações, a concentração será às 17h no vão livre do Masp, na avenida Paulista.

Principais pontos do projeto de reforma da Previdência do governo 

Aposentadoria rural – A idade mínima passa a ser de 60 anos para mulheres e homens. Hoje é de 55 e 60 anos, respectivamente. O tempo de contribuição mínimo sobe de 15 para 20 anos.

Professores – idade mínima de 60 anos para homens e mulheres com tempo de contribuição mínimo de 30 anos.

Idade mínima – homens deverão ter 65 anos e mulheres 62 anos para se aposentar.

Aposentadoria por tempo de contribuição – deixa de existir essa possibilidade, pois a idade mínima passará a ser exigida. Hoje, sem idade mínima, mulheres que contribuíram por 30 anos e homens que contribuíram por 35 anos podem se aposentar.

BPC – o Benefício de Prestação Continuada (BPC), renda mensal de um salário mínimo a idosos e deficientes em condições de miseralibidade, cai para R$ 400. Com a reforma o benefício poderá ser pago a partir dos 60 anos. Para ter acesso ao valor de um salário mínimo, o idoso deverá completar 70 anos.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum