Centrais sindicais vão a locais de trabalho e transporte público mobilizar população para ato contra Bolsonaro no dia 19

"É preciso dar capilaridade às mobilizações envolvendo todos os trabalhadores e trabalhadoras na luta dos sindicatos e das demais organizações populares", diz nota conjunta das entidades trabalhistas

10 centrais sindicais (CUT, Força Sindical, UGT, CTB, NCST, CSB, CSP-Conlutas, Intersindical, CGTB e Pública) decidiram se unir para mobilizar a população em prol de pautas contra a retirada de direitos e também com o intuito de incentivar a participação nas manifestações contra o presidente Jair Bolsonaro, convocadas para o próximo dia 19.

No dia 18, representantes das centrais sindicais irão até postos de trabalho e transportes públicos, em todo o país, e farão panfletagens, paralisações pontuais e assembleias para discutir pautas como o auxílio emergencial a R$600, vacinação para todos e o “fora, Bolsonaro”. Durante as atividades, as centrais também falarão sobre as manifestações contra o presidente que ocorrerão no dia seguinte e darão orientações sobre os protocolos sanitários contra o contágio do coronavírus que devem ser adotados nos atos.

“É preciso dar capilaridade às mobilizações envolvendo todos os trabalhadores e trabalhadoras na luta dos sindicatos e das demais organizações populares para avançarmos na construção de um país democrático e no combate à prática de destruição das nossas instituições e dos nossos direitos adotada pelo governo federal”, dizem as entidades em nota conjunta divulgada nesta quarta-feira (9).

“Faz parte do combate ao desgoverno Bolsonaro repudiar o obscurantismo, o negacionismo e as fake news e disseminar entre os trabalhadores e trabalhadoras a conscientização da gravidade da pandemia, bem como informações para que todos possam proteger a vida, não só a própria, como a de todos”, completam.

#19J

Partidos de oposição, movimentos sociais, sindicatos, entidades estudantis e população no geral já marcaram para o dia 19 de junho a segunda grande manifestação contra o governo de Jair Bolsonaro. O intuito é repetir ou fazer um ato ainda maior do que o protesto massivo observado no dia 29 de maio, quando centenas de milhares de brasileiros saíram às ruas para pedir “Fora, Bolsonaro”.

“Dia 19 de junho vamos voltar às ruas para cobrar seu impeachment. Queremos é o fim desse projeto genocida, que tira a vida de milhares de brasileiros e brasileiras”, escreveu o perfil oficial do Partido dos Trabalhadores no Twitter, acrescentando a hashtag #19JForaBolsonaro.

“Hoje foi panelaço. No dia 19 vai ser na rua”, afirmou o líder do MTST, Guilherme Boulos (PSOL). “A luta pelo #ForaBolsonaro só cresce. Dia 19, é povo na rua para derrotar o genocida”, escreveu a deputada Sâmia Bomfim (PSOL-SP) na última semana, logo após um estrondoso panelaço contra Bolsonaro feito em todo o país durante pronunciamento do presidente em cadeia nacional.

Avatar de Ivan Longo

Ivan Longo

Jornalista e repórter especial da Revista Fórum.