#Fórumcast, o podcast da Fórum
11 de setembro de 2019, 20h53

Correios: adesão à greve paralisa agências em pelo menos 20 estados e no DF

Segundo as federações da categoria, todos os sindicatos aderiram à paralisação nacional

Foto: Reprodução/CUT

A mobilização do funcionários dos Correios contra a privatização da empresa estatal, incluída nos planos de Paulo Guedes, teve grande adesão nesta quarta-feira (11). Funcionários de 20 estados e do Distrito Federal cruzaram os braços contra as intenções do governo e contra a posição da direção da empresa de não negociar um acordo coletivo.

Iniciada às 22h desta terça-feira (10), a greve nacional por tempo indeterminado foi convocado por diversas assembleias que aconteceram na maioria dos estados e envolve as duas federações da categoria, a FENTECT e a FindECT. Segundo as entidades, “todos os 36 sindicatos de trabalhadores dos Correios aderiram à greve”.

As entidades cobram a negociação de um Acordo Coletivo entre a direção da empresa e os funcionários, o que tem sido negado pelo presidente dos Correios, o general Floriano Peixoto. Segundo as entidades, a indicação do general teve como objetivo impulsionar o projeto de desmonte defendido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, e pelo presidente Jair Bolsonaro, que disse que as privatizações começam pelos Correios.

“Com a ameaça de privatização, este também é o momento de discutir a importância dos Correios para a sociedade, não apenas pelos impactos causados pela paralisação, mas pela necessidade de repensar as relações de trabalho, os problemas reais do povo brasileiro como o desemprego e – principalmente – o projeto de desmonte do Estado que quer destruir o patrimônio público brasileiro”, disse a FENTECT em nota.

O vice-presidente do FindECT, Elias Cesário de Brito Junior, denuncia a falta de compromisso da direção com os trabalhadores, que tiveram que acionar o Tribunal Superior do Trabalho (TST) para tentar negociar um acordo, que ainda não foi feito. “Vai ser uma luta de titãs. Temos um governo que pensa que é grande, mas nós temos uma categoria e um povo brasileiro que é muito maior que eles”, declarou.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum