Criança de 12 anos é detida e coagida pela polícia em ação de despejo de acampamento MST em PE

Usina que está por trás da desapropriação já foi denunciada no Ministério Público por trabalho escravo

O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) denunciou a detenção de uma criança de 12 anos pela Polícia Militar durante a ação de despejo no acampamento Bondade, em Amaraji, no interior de Pernambuco. Durante a operação, que se iniciou na manhã desta terça-feira (25), policiais usaram gás lacrimogêneo e balas de borracha para dispersar as famílias da ocupação.

Segundo a assessoria do MST, sete pessoas foram detidas pela polícia, entre elas a criança de 12 anos. O movimento denuncia que a criança foi coagida em interrogatório na delegacia. O grupo aguarda a chegada do delegado para dar continuidade ao caso.

Segundo informações do Brasil de Fato, as ações são atribuídas à Usina União e Indústria S/A. Sediada em Barra de Guabiraba, a usina é produtora de etanol e detém as marcas de açúcar Sublime e Primavera. Os proprietário são os usineiros Ilvo Monteiro Soares de Meirelles e sua esposa Maria Carolina Bezerra de Meirelles.

A empresa já foi denunciada pelo próprio Ministério Público de Pernambuco por trabalho escravo. O MST denuncia que parte dos trabalhadores do acampamento estavam submetidos a essa condição na usina.

Além disso, a ação de despejo contraria a notificação do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), que alerta sobre o aumento da vulnerabilidade das famílias desapropriadas durante a pandemia.

Avatar de Luisa Fragão

Luisa Fragão

Jornalista.