Fórumcast #20
13 de junho de 2019, 18h32

Greve Geral: Dezesseis capitais terão paralisação nos transportes contra Reforma da Previdência

Sindicatos de dezesseis capitais já confirmaram que haverá paralisação entre metroviários, ferroviários e/ou rodoviários no #14J; a expectativa é que a paralisação no setor de transportes seja maior do que na Greve Geral de abril de 2017

Reprodução

A greve geral convocada para esta sexta-feira, 14 de junho (#14J), promete mobilizar diversos setores. Um dos tidos como fundamentais para a paralisação é o dos transportes. Rodoviários, metroviários e ferroviários de dezesseis capitais prometeram parar por 24h nesses dia.

Com atos marcados em mais de 170 cidades, a Greve Geral promovida pelas centrais sindicais CUT, CTB, CGTB, UGT, Nova Central, Conlutas, Força Sindical, Intersindical e Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB), com apoio da Frentes Brasil Popular e da Povo Sem Medo, tem como bandeiras a luta contra a reforma da Previdência, em defesa da educação e por mais empregos.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

A expectativa é que a paralisação no setor de transportes seja maior do que na Greve Geral de abril de 2017. Até a tarde desta quinta-feira (13), sindicatos de cerca de dezesseis capitais já confirmaram que haverá paralisação entre metroviários, ferroviários e/ou rodoviários: São Paulo (SP), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), Belo Horizonte (BH), Salvador (BA), Porto Alegre (RS), Recife (PE), Fortaleza (CE), Natal (RN), Belém (PA), Vitória (ES), Maceió (AL), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Aracaju (SE) e Florianópolis (SC), última capital a ter a adesão confirmada.

Veja também:  Eduardo Bolsonaro tuita nota do Antagonista que diz que prefeito de Miami ficou "impressionado" com ele

Confira abaixo o que vai parar em cada capital, com informações da CUT e UOL:

São Paulo (SP)

Cerca de 50 mil motoristas e cobradores do transporte coletivo da capital paulista vão aderir ao dia 14 de junho. Os metroviários farão paralisação de 24 horas em todo o sistema. Os ferroviários da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) também aprovaram adesão à paralisação. O governo paulista recorreu à Justiça e obteve liminares que limitam a paralisação, mas os sindicatos confirmaram a adesão.

Rio de Janeiro (RJ)

O sindicato dos rodoviários informou que, em assembleia, a categoria optou formalmente pela paralisação. Os metroviários da Riotrilhos – responsáveis por fiscalização e controle – vão aderir à greve, mas os funcionários do Metrô Rio não aderiram formalmente à decisão.

Brasília (DF)

No Distrito Federal, os rodoviários, condutores e cobradores aprovaram, em assembleia no último dia 7, a adesão à paralisação de 24 horas. Os metroviários aprovaram a adesão à greve geral.

Belo Horizonte (BH)

Em Belo Horizonte, em Minas Gerais, os metroviários vão cruzar os braços.

Veja também:  Bruno e Marrone viram embaixadores do turismo no Brasil

Salvador (BA)

Cerca de 18 mil rodoviários, motoristas e cobradores do transporte urbano, intermunicipal e fretamento, que atuam em Salvador e em Feira de Santana irão parar por 24 horas nesta sexta-feira. Os metroviários da CCR Bahia e os ferroviários da Companhia de Transportes da Bahia aderiram à greve geral.

Porto Alegre (RS)

Em Porto Alegre, os metroviários aderiram à greve geral e anunciaram a paralisação do metrô por 24 horas.

Recife (PE)

Em Pernambuco, os metroviários aprovaram a adesão à greve geral.

Fortaleza (CE)

O Sintro-CE (Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário) passou a semana em campanha para a categoria aderir à paralisação nacional e informou que vai participar da greve geral.

Natal (RN)

Os cerca de oito mil rodoviários do transporte urbano de Natal e Mossoró cruzarão os braços por 24 horas. Os metroviários também aderiram à paralisação e o metrô não funcionará por 24 horas.

Belém (PA)

No Pará, o Sindicato dos Rodoviários do Pará anunciou que os motoristas de ônibus vão parar. O Sindicato dos Trabalhadores do Trânsito (Sindtran) também vai paralisar o Detran-PA em todos os 51 municípios onde tem unidades de atendimento.

Veja também:  Onyx respondeu ação na Justiça por não pagar cuidadora da mãe

Vitória (ES)

O Sindicato dos Rodoviários do Estado do Espírito Santo notificou o sindicato patronal sobre a adesão da categoria à paralisação desta sexta-feira. Os trabalhadores em transportes dos setores urbanos, suburbanos, rodoviários, fretamento e de carga irão cruzar os braços.

Maceió (AL)

Em Maceió, 4.500 rodoviários aprovaram a adesão à greve geral. Os metroviários aderiram à paralisação e cruzarão os braços por 24 horas.

Teresina (PI)

Os metroviários de Teresina também vão parar na greve geral. A categoria aprovou adesão à greve e paralisará as atividades por 24 horas.

João Pessoa (PB)

O metrô não irá funcionar em João Pessoa nesta sexta-feira. Os metroviários aprovaram adesão à paralisação que promete parar o Brasil.

Aracaju (SE)

Os ônibus não devem circular na capital sergipana a partir da 0h, segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Aracaju.

Florianópolis (SC)

Em Florianópolis, em os motoristas e cobradores de ônibus também irão cruzar os braços na greve geral do dia 14 de junho.


Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum