Greve: Líder caminhoneiro diz que apelo de Bolsonaro não convence

O presidente pediu que os motoristas abandonassem a mobilização grevista prevista para o dia 1º

O pedido feito pelo presidente Jair Bolsonaro aos caminhoneiros nesta quarta-feira (27) para que a greve prevista para o dia 1º de fevereiro seja revista parece não ter convencido lideranças dos trabalhadores.

“Nesse momento esse apelo não nos convence. Quem está fazendo apelo desde 2018 somos nós”, diz o presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, conhecido como Chorão, uma das principais lideranças do movimento que parou o Brasil em 2018. A informação é do colunista Chico Alves, do Uol.

“Queremos que ele chame o ministro Tarcisio Freitas, da Infraestrutura, o pessoal da Agência Nacional de Transporte Terrestre e coloque fiscalização para garantir as nossas conquistas legais, como o piso mínimo do frete, a isenção do pedágio para o caminhoneiro contratado e outros itens”, cobrou.

Mais cedo, Bolsonaro pediu aos motoristas que não parem na próxima semana. “Reconhecemos o valor dos caminhoneiros para a economia do Brasil. Apelamos para eles que não façam greve porque todos nós vamos perder, todos, sem exceção. Agora, a solução não é fácil, estamos buscando uma maneira de não ter mais este reajuste”, declarou.

O governo tentou desmobilizar a paralisação já na última semana, ao incluir os caminhoneiros no grupo prioritário da vacinação contra a Covid-19.

Com informações do Uol e da Agência Brasil

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Jornalista da Sucursal do Rio de Janeiro da Fórum.

Em 2021, escolha a Fórum.

Fazer jornalismo comprometido com os direitos humanos e uma perspectiva de justiça social exige apoio dos leitores. Porque se depender do mercado e da publicidade oficial de governos liberais esses projetos serão eliminados. Eles têm lado e sabem muito bem quem devem apoiar.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR