Grito dos Excluídos e das Excluídas em SP denuncia desmontes do governo e pede ‘Fora, Bolsonaro’

Grande parte do evento foi realizado por meio de lives virtuais, em respeito às medidas de segurança sanitária

Neste 7 de setembro, como ocorre desde 1995, o Grito dos Excluídos e das Excluídas ganhou as ruas do país. Em Brasília, como mostrou a Fórum, o artivismo deu o tom da manifestação com performances críticas ao desmantelamento do estado nacional e das políticas econômicas, sociais e ambientais que asfixiam as florestas, estrangulam a classe trabalhadora e sufocam os milhões de desempregados.

Em São Paulo, o grupo começou a se movimentar a partir das 9h da manhã. Teve manifestação na Praça Oswaldo Cruz e na avenida Paulista, na região centra, e também na zona oeste e em Carapicuíba, na região metropolitana. Teve manifestação também na baixada Santista, em Mogi das Cruzes, Campinas, Santo André, São Bernardo do Campo, Osasco e Jundiaí. Este ano o grito é “vida em primeiro lugar: basta de miséria, preconceito e repressão! Queremos trabalho, terra, teto e participação”.

Na praça Oswaldo Cruz, movimentos populares como sem tetos, movimentos feministas e movimento negro, usaram balões e cruzes em protesto contra as mais de 126 mil mortes pelo coronavírus no país, a maioria dos mortos são trabalhadores pobres. “Fora Bolsonaro” também foi um grito ecoado pelos manifestantes.

Segundo a Central dos Movimentos Populares (CMP), esperava-se umas 150 pessoas na manifestação presencial, mas havia cerca de 600 pessoas na praça. Grande parte da programação do 26º Grito dos Excluídos e das Excluídas ocorreu em lives virtuais, em respeito às medidas de segurança sanitária.

No ato de São Paulo o governador João Doria (PSDB) também não foi poupado. Os manifestantes caminharam pelas ruas do centro denunciando as políticas anti povo e cobrando políticas públicas inclusivas.

Avatar de Lelê Teles

Lelê Teles

Formado pela Universidade de Brasília, Lelê Teles é jornalista, roteirista e publicitário. É roteirista do programa Estação Periferia (TV Brasil) e da série De Quebrada em Quebrada (Prodav 09). Sua novela, Lagoas, foi premiada na Primeira Bienal de Cultura da UNE. Discípulo do Mestre Cafuna, prega o cafunismo, que é um lenitivo para a midiotia e cura para os midiotas.

Em 2021, escolha a Fórum.

Todos os dias Fórum publica de 80 a 100 matérias desde às 6h da manhã até à meia-noite. São 18h de textos inéditos feitos pela equipe de 10 jornalistas da redação e também por mais de três dezenas de colaboradores eventuais.

E ainda temos 3 programas diários no YouTube. O Fórum Café, com Cris Coghi e Plínio Teodoro, o Fórum Onze e Meia, com Dri Delorenzo e este editor, e o Jornal da Fórum, com Cynara Menezes. Além de vários outros programas semanais, como o Fórum Sindical, apresentado pela Maria Frô.

Tudo envolve custos. E é uma luta constante manter este projeto com a seriedade e a qualidade que nos propomos.

Por isso, neste momento que você está renovando suas escolhas e está pensando em qual site apoiar neste ano, que tal escolher a Fórum?

Se fizer isso, além de garantir tranquilidade para o nosso trabalho, você terá descontos de no mínimo 50% nos cursos que já temos em nossa plataforma do Fórum Educação.

É fácil. Clique em apoiar e escolha a melhor forma de escolher a Fórum em 2021.

Renato Rovai
Editor da Revista Fórum

APOIAR