Fórumcast, o podcast da Fórum
18 de julho de 2019, 10h36

Homem joga caminhonete em acampamento e mata integrante do MST no interior de São Paulo

"Exigimos punição imediata a este assassino, que age sob o clima de terror contra os movimentos populares, incentivado por autoridades irresponsáveis que estão no governo brasileiro", disse o MST em nota

Foto: Mídia Ninja

O Acampamento Marielle Vive, em Valinhos (SP), foi atacado nesta quinta-feira (18) por um homem com uma caminhonete em alta velocidade enquanto realizava uma manifestação com entrega de alimentos. Um senhor morreu e várias pessoas ficaram feridas.

Inscreva-se no nosso Canal do YouTube, ative o sininho e passe a assistir ao nosso conteúdo exclusivo

No momento do ataque, o MST realizava manifestação em frente ao acampamento, na Estrada do Jequitibá, Km 07, com o objetivo de pressionar a prefeitura pelo fornecimento de água. O ato foi interrompido por um homem não identificado que atropelou manifestantes e matou um deles, identificado como Luiz.

“Exigimos punição imediata a este assassino, que age sob o clima de terror contra os movimentos populares, incentivado por autoridades irresponsáveis dos que estão no governo brasileiro”, disse o MST em nota.

O acampamento conta com mais de mil famílias e existe desde o dia 14 de abril de 2018 na Fazenda Eldorado Empreendimentos Ltda. Em dezembro de 2018, a 37ª Câmara do Tribunal de Justiça de São Paulo votou, em decisão unânime, pela suspensão de reintegreção de posse solicitada pelos antigos donos, acatando o argumento do movimento de que “a fazenda ocupada estava abandonada, improdutiva, a serviço da especulação imobiliária e sem cumprir sua função social, por isso é exigido que essas terras sejam destinadas a Reforma Agrária, respeitando os artigos da Constituição brasileira”.

Veja também:  Eduardo Bolsonaro sobre ação de sniper: "Uma grande atuação em prol dos direitos humanos"

Você pode fazer o jornalismo da Fórum ser cada vez melhor

A Fórum nunca foi tão lida como atualmente. Ao mesmo tempo nunca publicou tanto conteúdo original e trabalhou com tantos colaboradores e colunistas. Ou seja, nossos recordes mensais de audiência são frutos de um enorme esforço para fazer um jornalismo posicionado a favor dos direitos, da democracia e dos movimentos sociais, mas que não seja panfletário e de baixa qualidade. Prezamos nossa credibilidade. Mesmo com todo esse sucesso não estamos satisfeitos.

Queremos melhorar nossa qualidade editorial e alcançar cada vez mais gente. Para isso precisamos de um número maior de sócios, que é a forma que encontramos para bancar parte do nosso projeto. Sócios já recebem uma newsletter exclusiva todas as manhãs e em julho terão uma área exclusiva.

Fique sócio e faça parte desta caminhada para que ela se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie a Fórum