Seja #sóciofórum. Clique aqui e saiba como
06 de fevereiro de 2020, 19h39

Ives Gandra bloqueia contas de sindicatos para acabar com greve dos petroleiros

Mesmo com a decisão que determinou a volta de 90% do efetivo ao trabalho e a aplicação de multa milionária, greve dos petroleiros ganhou mais adesões em seu sexto dia

Petroleiros contra fechamento da Fafen-PR (Foto: FUP)

Em decisão proferida na tarde desta quinta-feira (6), o ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), Ives Gandra, atendeu a pedido da diretoria da Petrobras e determinou o bloqueio cautelar das contas bancárias dos sindicatos de petroleiros, além da multa milionária que já havia sido imposta na terça-feira (4), com o objetivo de acabar com a greve da categoria.

De braços cruzados desde o último sábado (1), milhares de petroleiros estão mobilizados contra o fechamento da Fábrica de Fertilizantes Nitrogenados do Paraná (Fafen-PR) e a demissão de mil petroleiros, e pelo o cumprimento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Nesta quinta-feira, mais trabalhadores aderiram à greve, mesmo após a pressão do TST, o que motivou o ministro a tomar a decisão de bloquear as contas dos sindicatos.

Segundo Ives Gandra, os sindicatos “não apenas descumpriram a ordem judicial… como promoveram adesão maior de trabalhadores”. A decisão do ministro, a que Fórum teve acesso, permite ainda a Petrobras contratar trabalhadores temporários durante o período de greve. Ele determina, também, que 90% do efetivo de funcionários volte ao trabalho.

A Federação Única dos Petroleiros (FUP), no entanto, já havia avisado na terça-feira que continuaria a mobilização, mesmo com as multas e penalizações impostas. “A FUP e seus sindicatos reinteram que lutaremos para garantir o nosso Direito Constitucional de Greve. Dessa vez, o Ministro Relator não determinou de forma isolada o impedimento de exercitar nosso direito, mas impôs critérios bastante severos para qualquer entidade sindical, seja na proporção do efetivo, seja na multa culminada”, escreveu a federação em nota.

“A gente considera essa medida [a decisão do TST] uma resposta muito dura, exacerbada e injusta justamente porque nossa greve tomou um rumo de crescimento, mais plataformas aderiram, plataformas do pré-sal estão prontas para aderir, e o presidente Lula vai dar o ar da graça aqui. É o que deve ter botado mais medo neles”, disse à Fórum o coordenador da FUP, Tadeu Porto.

“O Ives fez um ataque muito fora da realidade, considerando um movimento legítimo como uma anomalia, e está multando sindicatos com valores muito maiores do que, por exemplo, o Flamengo quer pagar para os garotos que morreram em um contêiner, ou o que a Vale quer pagar para cada cidadão que ela assassinou ano passado. Querem quebrar a espinha dorsal do movimento sindical. O que podemos dizer é que vamos resistir. Nossa greve continua”, completou o petroleiro.

A última atualização da greve dá conta de que estão paralisadas 27 plataformas, 11 refinarias, 14 terminais, 7 campos terrestres 4 termelétricas, uma usina de biocombustível, uma fábrica de fertilizantes, uma fábrica de lubrificantes e uma fábrica de xisto, em 13 estados.

Além disso, cinco petroleiros, incluindo Tadeu Porto, ocupam uma sala da sede da Petrobras no Rio de Janeiro desde o início da greve. Nesta sexta-feira (7), o ex-presidente Lula participará de uma vigília em apoio aos petroleiros no local.


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum