Médicos Populares dão dicas de como participar dos atos contra Bolsonaro de forma segura contra Covid

O uso de máscaras N95 e PFF2 é apontado como fundamental para as mobilizações marcadas para o sábado (29)

A Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares divulgou no último domingo (23) uma lista de precauções a serem tomadas nas mobilizações convocadas contra o presidente Jair Bolsonaro para esta semana. Atos foram convocados em todo o país contra o presidente Jair Bolsonaro para o próximo sábado (29). Na quarta-feira (26) foi realizado um ato simbólico.

“Na quarta-feira, 26 de maio, ocorrerão ações simbólicas em Brasília e 11 capitais em defesa da vacinação, pelo auxílio emergencial de R$600 e contra a fome. No sábado, 29, estão sendo organizadas mobilizações por Fora Bolsonaro em todo o país. Nesse sentido, organizamos algumas dicas de como participar dos atos de rua com uma maior segurança”, diz postagem feita pela rede.

As recomendações principais do Guia de segurança sanitária na pandemia são sobre o uso de máscaras de modelos que oferecem maior proteção, como N95 e PFF2, a utilização de álcool em gel e a importância do distanciamento entre as pessoas de, pelo menos, 2 metros. Confira a lista completa no fim da matéria. O perfil Estoque PFF ajuda a encontrar locais para comprar essas máscaras a preços mais acessíveis.

Além dos médicos populares, a epidemiologista Denise Garrett também fez recomendações em suas redes. “Manifestações ao ar livre durante a pandemia podem ser feitas de maneira segura, com risco mínimo de transmissão e sem resultar em aumento do número de casos”, disse no Twitter, ressaltando a importância das máscaras, álcool gel e a adoção de óculos de proteção ou face shield.

O perfil Qual Máscara também fez recomendações no mesmo sentido, assista.

O ato

Mais de 100 organizações, partidos e movimentos sociais, sindicais e populares estão envolvidas na organização da manifestação marcada para o sábado: frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo, Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), União Nacional dos Estudantes (UNE), Central de Movimentos Populares (CMP), PT, PSOL, PCdoB, UP, PCB e PCO, além das centrais sindicais.

O movimento pede “Fora Bolsonaro” e tem como um dos lemas uma frase que ganhou repercussão após os protestos que tomaram a Colômbia contra o presidente Iván Duque, de extrema-direita: “se o povo vai às ruas durante a pandemia é porque o governo é mais perigoso que o vírus”.

Na quarta, CUT, Força Sindical, UGT, CTB, Nova Central, CSB, Intersindical, Pública, CSP-Conlutas, CGTB, CONTAG, MST e as frentes BP e PSM organizaram mobilização simbólica contra a fome e pela vacina. Na ocasião, foram doadas 3 toneladas de alimentos agroecológicos a catadores de material reciclável cooperativados e distribuídas mais de 600 cestas básicas.

CONFIRA AS RECOMENDAÇÕES DOS MÉDICOS POPULARES:

Guia de segurança sanitária na pandemia

1. As manifestações devem ser feitas SEMPRE em local aberto e bem ventilado

2. Manter distanciamento de 2 metros entre manifestantes.

3. Uso de máscara deve ser obrigatório, de preferência, PFF2/N95 ou máscara cirúrgica embaixo da máscara de pano. Sempre bem ajustadas no rosto, sem vazamentos.

4. Recomendamos aos movimentos que puxam as manifestações que forneçam máscaras adequadas àqueles que não possuem.

5. Muito importante pensar no deslocamento até o ato. Preferir transportes com janelas abertas e usar máscara o tempo todo.

6. Não deve haver abraços ou beijos. Evitar compartilhar objetos pessoais, água e alimentos.

7. Lavar as mãos ou utilizar álcool em gel sempre que for tocar nos olhos, boca, nariz ou na máscara.

8. Leve máscaras extras para outras pessoas que necessitam.

9. Não devem participar as pessoas com sintoma suspeito de Covid-19 ou teste positivo, ou ainda que tiveram contato com pessoas com sintomas ou teste positivo.

Exemplos de sintomas: Tosse, Febre, Cansaço, Dor de cabeça, Coriza, Congestão nasal, Dor de garganta, Perda de olfato ou paladar, Falta de ar e Diarreia.

Rede Nacional de Médicas e Médicos Populares

Atualização no dia 28/05, às 18h30

Avatar de Lucas Rocha

Lucas Rocha

Lucas Rocha é formado em jornalismo pela Escola de Comunicação da UFRJ e cursa mestrado em Políticas Públicas na FLACSO Brasil. Carioca, apaixonado por carnaval e latino-americanista convicto, é repórter da sucursal do Rio de Janeiro da Revista Fórum e apresentador do programa Fórum América Latina