O que o brasileiro pensa?
02 de maio de 2020, 09h43

Movimentos Populares Urbanos fazem panelaço contra Bolsonaro no dia D@s Trabalhador@s

"É uma manifestação a mais que se soma à luta continua dos movimentos populares por moradia, manutenção de empregos, fortalecimento do SUS, entre outros direitos", diz Raimundo Bonfim

Panelaço dos Movimentos Sociais (Reprodução)

O Dia do Trabalho foi lembrado com um grande panelaço em todo Brasil. Movimentos Populares Urbanos organizaram a ação que ocorreu às 20h30.

Segundo Raimundo Bonfim, coordenador nacional da Central de Movimentos Populares, o panelaço acontece “diante da crise sanitária, econômica e social agravada pela pandemia do novo coronavírus, que atinge especialmente as camadas empobrecidas das periferias, onde é mais forte a desigualdade, o desemprego, a informalidade, a fome e a falta ou precárias condições de moradia”.

Ainda de acordo com Raimundo Bonfim, é uma manifestação a mais que se soma à luta continua dos movimentos populares por moradia, manutenção de empregos, fortalecimento do SUS, entre outros direitos. “Já estamos promovendo campanhas de doação e distribuição de alimentos e materiais de higiene e limpeza, sempre exigindo que o governo cumpra a parte dele. Temos uma pauta de reivindicações reafirmamos em mais essa ação dos movimentos populares”, destaca.

Abaixo os itens da pauta de reivindicações defendidos pelas entidades:

  1. Afastamento social, somado a outras medidas como o pagamento urgente do auxílio emergencial de R$ 600,00. Conquista fruto da pressão dos movimentos sociais, a renda é importante para que milhões de pessoas tenham a mínima condição de se alimentar durante o período de quarentena. Garantia de um auxílio para os desempregados (as) e trabalhadores informais de todas as categorias e segmentos inscritos.
  2. Garantia da moradia, suspensão dos alugueis e prestações das mensalidades das habitações de interesse social, bem como garantia da manutenção dos serviços essenciais como água, energia, internet e vale gás, durante o período de quarentena e calamidade pública.
  3. Fortalecimento do SUS (Sistema Único de Saúde) com financiamento adequado. É preciso ações sanitárias, educativas e de saneamento básico, garantindo água como direito e não como mercadoria. Pela revogação da EC- 95/2016 (Teto de Gastos).
  4. Os movimentos estão promovendo ações de solidariedade nas comunidades das periferias com o objetivo de amenizar a fome mas, isso só não revolve o problema. Por isso, o chamamento para bater panelas, que estão vazias, para exigir ações efetivas dos governos, em especial do federal, tais como: garantia de renda, manutenção do emprego e apoio às pequena e média empresas.
  5. Fora Bolsonaro/Mourão, governo dos ricos e inimigo do povo, dos direitos, da democracia, dos sem teto, da saúde pública e que tem jogado milhões de pessoas das periferias no mais completo abandono e submissão a todo tipo de violência.

CMP – Central de Movimentos Populares

CONAM – Confederação Nacional das Associações de Moradores

MLB – Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas

MTST – Movimento dos Trabalhadores Sem Teto

MTD – Movimento dos Trabalhadoras e Trabalhadores por Direitos

MNLM – Movimento Nacional de Luta por Moradia

UNMP – União Nacional por Moradia Popular

Apoio: Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum