Ouça o Fórumcast, o podcast da Fórum
02 de dezembro de 2019, 17h20

Movimentos sociais e familiares convocam protestos contra ação da PM em Paraisópolis

"Nossos jovens negros e periféricos são alvo da bala do estado. Não aceitaremos! Não irão nos calar!  Vamos somar força e cobrar esse estado genocida!", diz o grupo Batalha do Paraisópolis, que mobiliza uma marcha

Foto: Daniel Arroyo/Ponte Jornalismo

O massacre ocorrido em Paraisópolis neste domingo (1) após ação da Polícia Militar contra um baile funk não será esquecido. Movimentos sociais e familiares das vítimas mortas no episódio estão organizando pelos menos dois protestos nos próximos dias cobrando respostas das autoridades e o fim do genocídio contra a população negra e periférica.

Na terça-feira da próxima semana (10), está prevista uma mobilização na Avenida Paulista que “vai pedir o fim da violência policial da opressão, abuso de poder, quantos jovens são mortos covardemente pelos policias”. “Queremos resposta sobre a morte dos adolescentes mortos na data do dia 01/12/2019 na favela da “PARAISÓPOLIS SP” durante um baile funk. Queremos JUSTIÇA”, diz convocatória do ato que ressalta o caráter pacífico. A concentração está marcada em frente ao MASP.

No sábado seguinte (14), o grupo Batalha do Paraisópolis está convocando uma marcha contra o genocídio da população negra e periférica na região em que os jovens foram mortos. “Dia 14/12 estaremos organizando uma marcha contra o genocídio da nossa população. Contra o racismo do estado!”, diz a convocatória. Ao menos nove jovens foram mortos na madrugada do último domingo.

“Nada justiça interromper a vida de alguém. Nossos jovens negros e periféricos são alvo da bala do estado. Não aceitaremos! Não irão nos calar!  Vamos somar força e cobrar esse estado genocida! Racista! Classistas! Esperamos por vocês”, diz ainda o grupo em postagem.

Em conversa com a Fórum, a Batalha contou que está buscando juntar maior número de coletivos possíveis para a marcha e está em contato direto com os moradores. “Durante essas duas semanas nós estaremos fazendo trabalho de base para divulgar para os moradores o que vai acontecer e deixar claro o que está acontecendo”, disse o grupo, que ainda disse que está em busca de advogados que possam colaborar.

Na noite de domingo, um protesto também percorreu as ruas de Paraisópolis exigindo justiça e paz. Logo após o ato, a Polícia Militar ainda tentou apreender a câmera do fotógrafo Daniel Arroyo, que registrou a mobilização.

JUSTIÇA! Nada justiça interromper a vida de alguém. Nossos jovens negros e periféricos são alvo da bala do estado. Não…

Posted by Batalha do Paraisópolis on Monday, December 2, 2019


Quantas matérias por dia você lê da Fórum?

Você já pensou nisso? Em quantas vezes por dia você lê conteúdos esclarecedores, sérios, comprometidos com os interesses do povo e a soberania do Brasil e que têm a assinatura da Fórum? Pois então, que tal fazer parte do grupo que apoia este projeto? Que tal contribuir pra que ele fique cada vez maior. Bora lá. Apoie já.

Apoie a Fórum